Arquivo de Thundercats

Thundercats 2011 Episódio 9

Posted in Cinema, TV, e Vídeos, resenhas with tags , on Novembro 17, 2011 by rsemente

Esse episódio foi bem legal, e nele que vemos pela primeira vez a equipe clássica com seus equipamentos (exceto por duas coisinhas), e finalmente um dos personagens secundários mais legais, principalmente para as crianças: Os Berbils.

Nessa versão os Berbils são quase iguais ao original, com a diferença que agora possuem formas mais variadas (gordos, magros, achatados…) e podem fazer uma coisa bem legal.

A trama de seu surgimento é levemente diferente da original, mas os inimigos que eles enfrentam na serie original estão lá rapidamente, servindo apenas para alimentar levemente a nostalgia, um dos grandes acertos desse desenho.

A partir daqui para quem não quiser ter alguns leves espólios pode deixar de lado e vá assistir os gatos trovões agora!!!

SPOILERS

Os grandes pontos desse episódio (fora a primeira aparição dos Berbils), e o combate com o Thundertank e a nova habilidade de rolamento dos Berbils.

O Thundertank agora finalmente foi concertado pelos Berbils e mostra grande poder em combate contra um grande caminhão escravista. Ele também mostra uma nova habilidade, suas garras podem ser lançadas a longas distancias para ataque e agarrar (não lembro disso na série original, só que elas se estendiam um pouco).

Quanto aos berbils agora eles são mestres da mecânica intuitiva (se eles faziam parte dos escravos de Mumm-ra ou são do terceiro mundo não fica claro). Também possuem habilidade de rolar, que os tornam rápidos como um veiculo, mas como ainda continuam pacifistas convictos eles acabam sendo imprestáveis em combate (mas nada que não possa ser modificado para usar em RPG 🙂 ).

Agora só mais um detalhe é o felino branco e gigante deve ser o Snowmeaow (é assim?) o tigre do Homem das Neves, espero vê-lo em um futuro próximo, ele já era legal naquela época, imagine com um visual renovado e mais radical!

Anúncios

Thundercats 2011 Episódio 8

Posted in Cinema, TV, e Vídeos, resenhas with tags , on Novembro 16, 2011 by rsemente

O Duelista e O Andarilho é um episódio filer, termo usado lá na gringa para descrever aqueles episódios para encher lingüiça, mas que nem por isso é um episódio ruim. Antes de continuar tenho que dizer que não tem muitos spoilers nessa resenha, até mesmo por ser um filler.

 na verdade é um episódio que homenageia um clássico desenho que homenageia vários grandes filmes japoneses e histórias da própria cultura japonesa. Por isso vamos começar a história com um pouco de cultura popular. E até uma leve referencia a WoW (eu acho).

A primeira grande homenagem é Usagi Yogimbu, um quadrinho japonês que nunca virou animação pra valer (até onde eu saiba), a não ser em uma grande participação no desenho das tartarugas ninjas da década passada. Praticamente é a história de um espadachim guarda costas do Japão feudal, com a única e grande diferença que todos os habitantes são seres antropomórficos, bem ao estilo Kung-fu Panda, fonte que o novo Thundercats vem bebendo com força, e principalmente este episódio.

O Duelista

Nesse episódio começamos a ver na prática o despertar do lado cientista de Tigra, já apontado levemente em episódios anteriores, mas que dessa vez fica bem evidente, apensar de não obter sucesso em sua ciência.

E então pulamos para Lion-O que continua sendo a estrela principal do desenho. Ele está em busca de novos mantimentos, e para isso encontra uma cidade com uma muralha feita de armas!

Lá ele encontra um andarilho, ou no inglês drifter, que lá tem um sentido de errante, ou um objeto que fica a mercê da água ou do vento, ou uma pessoa que vaga sem rumo pelo mundo.

 Após ajudar o andarilho e receber um conselho em troca, ele entra na cidade e após uma pequena tarefa ele consegue o que quer, mas por arrogância ele aceita um desafio e caso perdesse daria a espada justiceira, e novamente por arrogância ele perde a espada.

Então o andarilho forja uma espada para ele (e mais um flashback), e agora com mais humildade e escutando o conselho do andarilho ele consegue derrotar seu oponente.

Praticamente nesse episódio é bem interessante para quem gosta dessas histórias de samurais, cheias de viajantes, tipos esquisitos e duelo de espada. A lição de moral é bem legal, fala sobre arrogância, super confiança e não subestimar os inimigos.

No final é um grande episódio, mas com pouca relevância para a história, talvez possamos ver em um futuro episódios alguns desses personagens interessantes que foram apresentados.

Thundercats 2011 Episódio 7

Posted in Cinema, TV, e Vídeos, resenhas with tags , on Novembro 8, 2011 by rsemente

Agora sim temos um episódio onde o flashbacks foram usados de forma magistral. É um episódio com bastante ação, que adiciona novos elementos a mitologia, de forma bem bacana e feita para suprir a falta que todos os grande plots da saga inicial foram resolvidos nos primeiros 6 episódios.

Antes de continuar temos que falar que essa resenha daqui pra frente é um grande SPOILER, e que só posso dizer o que já foi dito, com a adição de mais uma série de novas e grandes novidades, e vários easter eags que relembra vários desenhos dos anos 80. Ou seja, um ótimo, imperdível e importantíssimo episódio.

DAQUI PARA FRENTE COMEÇA OS SPOILERS!!!!

O inicio desse episódio apresenta os Thundercats descansando na Torre dos Presságios da batalha no episódio anterior, e Lion-O tentando desvendar o segredo do Livro dos Presságios, e ao descobrir ele começa uma viagem espiritual dentro do livro.

Isto acontece logo nos primeiros minutos, e faz com que este episódio seja praticamente um grande flashback, visto através dos olhos de Lion-O que interage com as memórias gravadas no livro dos presságios.

Ele encarna então o rei Leo, o primeiro grande Rei dos Thundercats, e deve reviver o que ele passou, e tomar as decisões certas se não o Livro dos Presságios o considerará indigno de ser o novo líder dos Thundercats e de ajudar-lo futuramete.

Logo de cara voltamos para para a cena do Flashback do episódio anterior, em uma grande nave mãe piramidal de Mumm-Ra, mas de um outro ponto de vista, confirmando que o “Leão” do episódio anterior era um ancestral de Lion-O, e na verdade o grande Rei Leo.

Inicialmente Lion-O se deixa levar pela situação, se passando por um leal servo de Mumm-Ra, vemos que um de seus generais é uma figura conhecida dos jovens nerds dos anos 80 (o que deixa a deixa para uma fusão dos Thundercats com outra grande série no futuro).

Leo então parte para organizar o exército de “Animais” de Mumm-Ra, composto por diversas raças antropomórficas, como os Lagartos, Chacais (mostrando a força e hora dos mesmos, diferente do comportamento covarde do Chacal da série antiga, um possível gancho com uma das sagas dos quadrinhos dos Thundercats da década passada), Macacos, Tyger Sharks (outra homenagem a outro desenho dos anos 80), abutres, e até elefantes.

Os animais então começam uma rebelião, e depois de aplacá-las, Lion-O prende os lideres da rebelião, um lagartão e um chacal, que logo se apresentam como amigos de Leo e revolucionários contra o despotismo de Mumm-Ra, agora ele sabe o que deve fazer.

Os revolucionários então apresentam a Leo/Lion-O a Espada Justiceira que acaba de ser forjada por thunderianos que lembram o Pantro e alguns outros Thundercats. Leo/Lion-O então recepciona a chegada da jóia de poder trazida após a conquista e após recebê-la coloca o cubo na Espada Justiceira e se torna o Olho de Thundera.

Leo/Lion-O então encontra Mumm-Ra e começa uma luta contra ele, que diz não haver chance, pois Mumm-Ra possui mais três jóias de poder!!! Mesmo assim Lion-O não arrega, e com um disparo da espada justiceira ele arranca outra jóia de poder de Mumm-Ra.

Mumm-Ra então avisa que Leo não tem chance, pois ele sabe como usar as jóias, e as usa para criar uma armadura negra gigante (que me lembrou muito uma espécie de vingador gigante). Depois de apanhar um pouco Lion-O percebe que também pode usar as outras jóias de Poder na garra, e assim o faz, criando uma armadura em formato de leão.

A luta continua no exterior da nave, e após voltar para nave Lion-O consegue remover as outras duas jóias e as encrava na garra, Mumm-Ra volta para sua forma decadente, e antes de ser preso ele amaldiçoa os Thundercats e entra em seu sarcófago (o que prova como é ridículo ele se tornar um tank, visto que ele se encontrava no interior de uma nave espacial, então deveria se transformar em uma nave).

A nave de Mumm-Ra cai no terceiro mundo, e Lion-O acorda, agora com a convicção de como derrotar Mumm-Ra: Pegar as outras jóias e unir as outras espécies.

Como viram é outro episódio sensacional. Com muita ação (as batalhas entre Leo e Mumm-Ra são fantásticas), muitas homenagens, e muita explicação, assim como a introdução de dois novos grandes plots.

Agora podemos ter um vislumbre de como Panthro escapou e conseguiu o ThunderTank (era na verdade uma tank do exército de Mumm-Ra), e remove o efeito “super-inventor” da maioria dos veículos thunderianos da série antiga.

Quanto as transformações elas são ao mesmo tempo legal e estúpidas, parece mais uma coisa pra vender bonecos, mas deixa uma sensação de nostalgia dos desenhos antigos como Tokusatsu, He-Man e outros.

Com isso o desenho agora está quase no mesmo rumo que o desenho da série antiga, e apresenta um rumo completamente novo do desenho, fazendo uma espécie de continuação da série antiga. Plots completamente inovadores, e não apenas uma recontagem dos mesmos plots da série antiga.

Agora sim estou completamente fisgado pela série, e agora apenas um episódio por semana parece pouco, e espero que seu sucesso crie novas séries spin-offs de outros desenhos antigos (como s Silver Hawks), sendo que dessa vez com uma qualidade similar a esta (principalmente nos roteiros), e não como foi as outras séries de menor qualidade da mesma produtora.

Thundercats 2011 Episódio 6

Posted in Cinema, TV, e Vídeos, resenhas with tags on Novembro 1, 2011 by rsemente

Voltamos aqui com mais uma resenha de mais um episódio do remake dos Thundercats, a “Jornada para a Torre dos Presságios”. Fazendo uma retrospectiva das qualidades e defeitos da série e dos episódios temos:

História da mitologia completamente nova, mas com velhos elementos (Espada justiceira, livro dos presságios, Mumm-Ra…).

Temas e roteiros mais adultos, com causa e conseqüência menos óbvia, e implicações mais sérias nos comportamentos dos personagens.

Design moderno mas com elementos do antigo.

Os dois primeiros episódios tivemos a história da queda de Thundera, que agora é um reino já no terceiro mundo, e não um planeta. No terceiro episódio vemos uma aventura bem leve em um mar de areia e um navio aéreo de piratas peixes caçando um monstro titânico, que pouco relaciona com história dos episódios anteriores. No quarto episódio tivemos um belo conto de um pequeno povo planta, que lembra um pouco o filme “O estranho caso de Bejamin Buton”, e no final a chegada do Thunderiano mais caceteiro de todos (Quer saber, leia a resenha passada aqui). Tivemos o quinto episódio que foi uma busca por Thundrilium, e cheio de vilões inúteis, e muito mais Flashbacks chatíssimos, e para mim o pior episódio até agora. E agora o sexto.

Antes de começar tenho que dizer que não há como continuar sem Spoilers, o episódio é totalmente significativo para história do inicio ao fim. As únicas coisas que posso dizer é que parece com uma boa sessão de RPG, com cada personagem fazendo alguma coisa para o sucesso da missão, e finalmente temos todos os personagens jutos em ação.

DAQUI PARA FRENTE COMEÇA OS SPOILERS!!!!

Esse episódio começa com uma cena bem engraçada, meio estilo Personagem de RPG com atitude meio em OFF, com Lion-O tentando usar a Visão Além do Alcance repetidas vezes sem sucesso (re-testes e mais re-testes, estou de olhos em vocês).

Depois vemos Mumm-Ra e a explicação para uma das coisas que ele falou no segundo episódio, isso com mais um Flashback (mas dessa vez muito mais legal e cheio de easter eags). Primeiro mostra que os Thunderianos eram no passado longínquo servos de Mumm-Ra, e este  possuía alta tecnologia, tanto que os Thunderianos possuíam uma frota de naves espaciais e invadiram um planeta alienígena para obter uma jóia de poder, que no fim descobrimos que é o Olho de Thundera. Então pasmem o Olho de Thundera, nem de Thundera é nessa versão.

Fim do Flashback, vemos que os Thundercats chegam no locam onde provavelmente está o Livro dos Presságios, mas não alcançarão ele sem antes passar por vários desafios. Nesses desafios lembram muito uma dungeon clássica, com armadilhas seguidas de armadilhas e o chefão no final.

Depois de cada um utilizar uma habilidade para passar nos desafios eles chegam no local do livro, e ao mesmo tempo Mumm-Ra, que veio deslocando maior parte do caminho com um sarcófago tank (muito tosco ao meu ver). Começa então a batalha para chegar ao livro, sendo que de cara ele já começa a detonar dois dos Thundercats. Na escalada ele luta com mais uma (finamente vemos Tigra fazendo alguma coisa realmente útil). Finalmente eles chegam na parte do livro e começa uma emocionante batalha, e de uma forma bem heróica eles conseguem expulsar Mumm-ra do local, e eles conseguem o Livro dos Presságios.

Então vemos que este episódio foi foda, cheio de ação, com cada personagem tendo seu momento, um vilão realmente difícil de enfrentar, e um grande avanço na história.

Um episódio imperdível, que paga a divida deixada pelo péssimo episódio anterior, e o saldo que sobra marca com chave de ouro essa nova série, que está mais que honrando muito bem a série antiga.

Thundercats 2011 Episódio 5

Posted in Cinema, TV, e Vídeos, resenhas with tags , , on Outubro 26, 2011 by rsemente

Tenho poucas palavras para falar desse épisódio, que nem sei por onde começar. Mas vamos lá.

O episódio até que começou bem com essa imagem do thundertank, mas...

Este episódio para mim foi horrível. Primeiro devo admitir que cochilei bastante durante ele, mas não foi 100% por causa do episódio (estava cansado mesmo). Mas então depois que terminei de assistir (retornando ao estado consciente com um resto de pacote de doritos apimentado desde que assisti o Conan) achei que o episódio tinha sido ruim por causa do sono, mas quando re-assisti algumas partes o episódio continuou ruim.

Durante a primeira vez achei que tinha perdido partes, mesmo acordando do cochilo e voltando para a ultima parte que lembrava de ter assistido. Quando re-assisti vi que não tinha perdido nada, e que o episódio realmente era ruim.

Então vou tentar enumerar alguns fatores que tornaram ele ruim:

1)      Flashback fraco: O episódio é cheio de flashbacks (quase metade), mas que na maioria das vezes são pouco instigantes, principalmente por que boa parte não está relacionado diretamente com o episódio.

2)      Ninguém faz nada: Durante o episódio, quase ninguém faz nada. Luta pra valer nenhuma, habilidade nenhuma, nada.

3)       Novo vilão potencialmente legal desperdiçado: Sim tem um vilão com habilidade e aparência bem legal, e ele não faz nada!!!

4)      Segundo maior vilão até agora só foge: Estou falando de Grune, que dessa vez não faz nada, ridículo.

5)      Cena de personagem caindo com morte aparente: Esse é o chavão mais clássico de todos os tempos, o cara cai em um buraco e é dado como morto. Temos isso nesse episódio. Ridículo.

O única coisa que foi relativamente boa nesse episódio é uma mínima referencia com um episódio da serie original, ver o thundertank inteiro e em perperctiva e o visual do novo e sub-aproveitado driller/escavador. Fora isso uma palavra resume bem o episódio: LIXO.

O novo Driller/escavador: visual bacana, derrota banana

Thundercats 2011 Episódio 3

Posted in resenhas with tags , on Outubro 14, 2011 by rsemente

O terceiro episódio, intitulado Ramlak Rising (Surgimento de Ramlak), é um claro exemplo de como a nova série faz grandes tributos um tributo a série antiga (e também esta a altura), mas para uma nova geração.

Antes de continuar devo avisar que quase não tem SPOILER essa matéria, apenas em um parágrafo que tem detalhes que podem atrapalhar a surpresa e diversão do leitor/espectador, então pode ler com calma que a parte bem indicada e protegida, com fonte negra, bastando selecionar para ler.

Este episódio em boa parte lembra bastante alguns da série clássica que geravam “encontros aleatórios”, sendo que inserido dentro de uma jornada. Ou seja, está conectado seqüencialmente com o episódio anterior, mas ainda assim dá para ser assistido de forma independente.

Lion-O apresenta sentimentos impulsivos da série anterior, isso com uma boa justificativa que não contradiz seu comportamento anterior, e que também conecta com a lição de moral deste episódio.

Como novidade, agora temos quase todos os Thundercats juntos, Wilykit e kat se juntaram ao grupo, e de uma forma muito bem elaborada, sem aquela forma forçada das mesas de RPG (Oi, posso me juntar a vocês? Claro que pode, eu não te conheço mas confio em você…).

Agora a grande surpresa mesmo foi o cenário e a criatura que dá nome ao episódio.

Primeiro um mar de areia, que parece um mar revolto normal, só que formado de areia. Pode ter ficado um pouco estranho (principalmente os limites desse mar), mas se considerarmos que agora existe magia mais forte em todo mundo, e também isso pode ser facilmente justificado (e quem já esteve em algumas regiões de dunas no Nordeste sabe muito bem como uma região arenosa pode se parecer com um mar).

Segundo a criatura, SPOILER um espécie de kraken da areia, muito foda, e não economizaram na bizarrice (nada de monstrinho cute-cute), com tentáculos com olhos, bocas com mais tentáculos, e tamanho descomunal, tudo bem ao estilo cthulhiiano. Nada mal para um desenho infantil, ein? FIM DO SPOILER

Dito isso só achei que quando vi o barco veria os piratas/vickings/cyborgs do seriado original, não que o que vemos seja ruim (não falarei o que para não dar mais spoiler), mas me pegou de surpresa. Isso pode ser que se torne uma tendência nos demais episódio, colocar todas as espécies como tipos antropomórficos, o que não é ruim se feito de forma mais realista possível, e é o que está sendo feito, com cada espécie com indivíduos diferentes entre si em forma e adereços, algo quase inédito na animação.

Para finalizar com chave de ouro, vemos agora um combate pra valer, com espadadas que cortam e tiram pedaços do inimigo, tiros de raios que quando pegam arrancam pedaços, e muita ação, rápida e frenética. Apenas em um momento ficou o desenho ficou relativamente tosco com Lion-o utilizando a espada para defender detritos que viam em direção de seu veiculo colossal (deve ter protegido quase nada!).

Decepando tentáculos, Yeah!!!

No final o episódio foi muito bom, manteve a mesma qualidade, e me garantiu assistir mais um episódio da série (pois é, tenho uma lista bastante extensa de coisas para ler e assistir, e não posso me dar ao luxo de assistir qualquer bobagem).

Thundercats 2011 – Resenha Episódio 1 e 2

Posted in Cinema, TV, e Vídeos, resenhas with tags , , , on Outubro 10, 2011 by rsemente

Há cerca de dois meses atrás foi lançado o remake de Thundercats, um dos melhores desenhos da década de 80, e hoje finalmente assisti.

Para quem não quer Spoiler eu recomendo fortemente que pare de ler esta resenha e vá assistir. Para quem não liga para uma pequena dose de Spoiler do inicio da nova saga continue a ler, principalmente se está indeciso para assistir, e aproveite e se ainda estiver em duvida apriveite e veja aqui o trailer da nova série.

Vamos começar com as diferenças mais marcantes do seriado novo com o antigo.

1º Sem e Com Thundera.

Não existe mais o planeta Thundera e sim o Reino de Thundera, que se localiza já no terceiro mundo, e diferente do que vimos com o planeta Thundera (bem estilo superman), agora podemos saber como o reino de Thundera caiu em detalhes!

2º Lion-O Adolescente

No desenho original Lion-O começava como criança, menor do que Wilykit e Wilykat, e após uma falha planejada por Jagah sua câmera de animação suspensa deixa ele crescer até a forma adulta (e bombada, a quem diga que deveria ser atrofiada, mas confiamos na tecnologia Thunderiana), o que pula a infância e adolescência do nobre senhor dos Thundercats (ou não visto que ele continua agindo como criança boa parte do tempo nos primeiros episódios). Agora ele deve possuir uns 17 anos e tem um porte físico atlético mas não bombado. Mas espero que seu físico vá se aprimorando com a história, e lá para terceira temporada eles esteja tão forte quanto o antigo.

3º Sem Tecnologia

O desenho antigo a tecnologia Thunderiana era impressionante. Raios lasers, naves mais rápidas que a luz, anti-gravidade, entre outras coisitas mais. Agora os gatos são um povo medieval, que se utiliza de magia, uma mudança que me fez torcer o nariz mas que foi utilizado com bastante sabedoria.

4º Lion-O e Tigra são irmãos

Sim é isso mesmo, Tigra é irmão mais velho de Lion-O, mas por algum motivo o reino irá para Lion-O e não para Tigra, talvez seja pura e simplesmente racismo, já que Lion-O é de uma linhagem de leões e Tigra de tigre, o que faz parecer que Tigra seja bastardo tipo o Jow Snow de Guerra dos Tronos.

5º Lion-O sábio!

Sim Lion-O não é mais uma criança no corpo de adulto, e de personalidade totalmente impulsiva, ele é um adolescente, e bastante sábio, e essa é a grande diferença que tornou o desenho muito bom. No original as crianças geralmente aprendiam com os erros de Lion-O que causavam problemas e depois eram resolvidos na porrada, no novo Lion-O é tão sábio quanto um Rei Arthur, poupando inocentes, buscando conhecer o seu inimigo, e acreditando na humildade. Isso ensina de cara sobre o certo e errado a nova geração, e mais, agora temos muito mais profundidade, e com o beneficio por fazer o certo chegando em linhas tortas mas de forma muito mais saborosa e recompensadora que vemos normalmente em desenhos (nos desenhos antigos salvar uma pessoa resultava na simples ajuda direta do individuo em um combate, agora salvar uma pessoa pode significar uma ajuda pequena mas importante para a história).

6º Porrada!

O desenho original tinha uma boa dose de censura na violência, apesar do protagonista usar uma espada, ela era utilizada mais para rebater raios do que para um golpe nas fuças do que quer que seja. Agora temos socos, ponta pés, espadadas (que não chegam a cortar o inimigo, mas o faz recuar ao ser aparada).

Vejá um video comparando a abertura do antigo Thundecat com uma versão da mesma aberura com imagens do novo Thundercats:

Antiga:

Versão da abertura dos novos thundercats com o estilo da antiga (Fã made):

Menção Honrosa 1

Não temos mais nudez! No primeiro episódio, por alguns poucos minutos os todos os Thundercats estão nus, pois era assim que eles deviam viver em Thundera, agora todos os Thunderianos usam roupas, não só aqueles que precisam usar armaduras.

Menção Honrosa 2

Logo de cara temos a busca pelo Livro dos Thundercats Presságios (Livro de Omens no inglês), item que só aparece de fato lá pela terceira temporada do desenho original. Uma pequena e saborosa mudança, provando que eles querem mostrar uma história mais continua, com menos encontros aleatórios nos episódios.

Menção Honrosa 3

Snarf foi reduzido a um animal de estimação, e não a babá ranzinza e alivio cômico do desenho que era na serie clássica (isso foi um dos pontos bem ruins que achei no novo).

 …

Dita essas diferenças, agora podemos refletir sobre a qualidade do desenho em si.

Primeiro a arte está fantástica. Ainda hoje a animação dos Thundercats de 23 anos atrás é melhor do que muito desenho de hoje em dia (é claro que o visual é bastante brega para hoje em dia). A arte do novo, além de um visual mais moderno (não temos mais roupas colantes), também tem uma qualidade superior, no mesmo estilo de Avatar: Last Airbender. Espero que continue assim com o sucesso, e não diminua com o tempo, como aconteceu com Ben-10.

Segundo a história, a trama e o roteiro estão impecáveis, é como se os roteiristas tivessem assistido o original em sua infância e agora estão fazendo seu trabalho com uma dedicação que raramente se vê em um desenho animado.  Temos lição de moral no meio da trama de maneira legal e não de forma forçada, o que quase me fez chorar por trazer uma das marcas registradas dos desenhos dos anos 80. Temos todos os elementos da série original (bem quase todos, exceto pelas diferenças que falei). Temos vilões mais inteligentes (bem mais). Temos justificativa para as habilidades da Cheetara…

Vemos também alguns personagens que aparecem mais tarde no desenho antigo aparecendo no primeiro episódio, como Lynxs e Grune, e uma história em mudança (no inicio são apenas três/quatro juntos gatos juntos, os outros três devem se juntar depois).

Como pode se perceber pelas mudanças que apresentei, eles terão que construir seus aparelhos tecnológicos do zero (sendo que também precisarão aprender a construir), como o Thundertank e a Toca dos Gatos, mas isso pode parecer um pouco forçado para gatos edievais, certo? Errado!

Nessa nova história Pantro é um dos generais de Claudus, o pai de Lion-O, e está junto com Grune em missão a alguns anos fora do reino de Thundera em busca do livro dos presságios, e é provável que sua genialidade com a engenharia se justifique com essa viagem, que foi preciso aprende-la para sobreviver (assim como Grune utilizou para sua traição).

Quantos os inimigos vemos inicialmente os lagartos, incluindo Escamoso como um dos chefes, Grune e Mumm-ra. Creio que os outros mutantes (que agora devem ser espécies naturais de Thundera), apareçam mais tarde como povos do terceiro mundo, assim como outros aliados dos Thundercats (vocês viram a pata de Bearbills?).

Já Wilykit e Wilykat são apresentados apenas em três pequenas cenas como dois thuderianos mendigos, mas com habilidades ladinas já desenvolvidas, o que ficou bem legal, e com uma boa surpresa.

Agora, para mim, uma grande novidade foi a existência de uma nova classe de guerreiros, os Clérigos de Thundera, a qual Jaga faz parte, e que possuem poderes místicos fantásticos, como soltar raios com seus cajados (vocês conseguem advinha qual dos Thundercats será um), ficou muito foda a aparição deles, vale a pena conferir.

Outra pequena mudança foi a mudança completa do mundo. No desenho original sempre pairou a duvida se o terceiro mundo seria a terra em um futuro longínquo, visto que possuía pirâmides, e retroclones de culturas antigas (como amazonas e vikings), mas que mesmo assim não podia ser a terra pois a terra era de onde Hachiman veio pelo espaço com seu cavalo (sem usar roupa espacial diga-se de passagem). Mas agora temos certeza que estamos em outro mundo, pois o terceiro mundo parece ser na verdade um planeta em orbita de outro maior! Resta sabermos se aparecerão humanos ou não durante a série (como a policial espacial Mandora), e de onde estes virão.

Outra novidade é o uso de computação grafia para gerar algumas maquinas. Eu particularmente não gosto disso, mas que como o uso foi muito pequeno não me incomodou muito.

Bem pessoal por hoje é isso, quando eu assistir o segundo episódio coloco a resenha aqui, e provavelmente vou fazer a adaptação do desenho nos mesmos moldes que fiz com os da série original.

Então os que ficaram até aqui, se não assistiram, assistam, e comentem sobre o que acharam dos novos Thundercats.