Arquivo de mapa

Mapa de Kalymba versão 1.04

Posted in campanha, cenário, mapa with tags , , , , , , , on Maio 28, 2021 by rsemente

Pensou que não ia ter Kalymba essa semana? Pensou errado otário!

Pois é, para comemorar o Playtest Kalymba versão 2.0, segue o mapa com algumas atualizações. Que atualizações? São cinco, duas estética e geográfica, e duas novas regiões:

  1. Contorno do litoral ajustado: Antes o contorno das cores da região saiam para fora do contorno do litoral, agora está direitinho. Só estética mesmo.
  2. Faixa de terra mais ampla entre o Platô do Capeta e o litoral: antes o platô do capeta era praticamente a unica separação da Banda Podre com a maioria das outras partes civilizadas, agora temos uma faixa de terra de 200km de largura que dá acesso por fora do platô, tanto para quem queira ir até lá quando para quem, ou o que, queira sair de lá.
  3. Costa safira diminuiu: No livro sempre disse que a costa safira era um pequena faixa do litoral, então reduzi para cerca de 300km (o que pode ser considerado pouco diante das dimensões da minha versão de Aiyê).
  4. Adicionei a Serra do Falcão: o território descrito na aventura do fastplay. Não está do tamanho que acho ideal (ficou meio grande), mas tudo pode ser um erro do cartógrafo e a realidade só pode ser vista com exatidão visitando o território.
  5. Adicionada a região de Jukana: essa região vocês vão conhecer com mais detalhes em algum momento, pois é nela que se passou a aventura Pé na bruxa, fogo na cara, narrada pelo Daniel Pirraça na RPGCon, e que estou escrevendo um conto do que ocorreu (ou uma versão).

Pois é, aos poucos temos um mapa cada vez mais complexo e com locais para se jogar. Então sem mais delongas, aqui vai os mapas.

MAPA DE AIYÊ (sem Grid)

MAPA DE AIYÊ (com Grid)

Kalymba: Mapas de Aiyê 1.2

Posted in campanha, cenário, mapa with tags , , , , , on Abril 26, 2021 by rsemente

Boa noite grandes RPGistas e Kalymbeiros de nosso Brasil!

Hoje trago para vocês uma nova versão do meu mapa de Kalymba. Por que uma nova versão, por três motivos, vamos a eles:

1 – O primeiro mapa que fiz só fazia referencia aos locais que tinha lido na primeira parte do playtest, As terras de Aiyê, e quando terminei de ler o livro encontrei mais alguns locais que apareceram principalmente na descrição dos Orixás e alguns nas raças. Alguns dos locais adicionados foi a Nyâmbia

2 – Não gostei muito depois que fiz da localização das Planícies Tugelinas, onde elas estavam dificilmente colocariam em risco outros reinos, como Tumbuktu na Costa Safira. Então aumentei para baixo as montanhas que agora está localizada Kuchakina, e como a costa safira estava enorme dividi em duas, colocando os dois locais lado a lado. Agora o reino de Shaga pode ameaçar mais regiões, e está bem mais próximo de outras, como o platô do capeta e a própria Kokori e a Savana Dourada.

3 – Amanhã começa minha campanha, Kalymba Forever, e como precisava de um local para “chamar de meu”, escolhi uma pequena faixa entre o platô do Capeta, a Savana Dourada e a Faixa do Kalabaya, e transformei na Planícies Kakhulu (que significa grande na língua xhosa). Como podem ver já adicionei alguns pontinhos lá, como uma cidade e três vilas, mas é claro que não era suficiente, e como precisava de mais detalhes ampliei o mapa e o refis com muitos mais detalhes (como podem ver no mapa mais abaixo).

Também posicionei os locais que descrevi nos dois primeiros personagens, Amra Umukura, o leão negro e Malika, a princesa jengu.

Sim, trouxe com vocês dois mapas ao invés de um. E na verdade como gosto de trabalhar com grids adicionei um grid também, com hexágonos de 100km de lateral, o que gerou duas versões de cada um.

Espero que gostem dos dois mapinhas para esse jogo que já nasceu grande, talvez o RPG nacional que nasceu maior que qualquer outro antes.

Se alguém souber de outro me avisa, mas se não, acho que podemos chamar Kalymba do Maior RPG Brasileiro de Todos os Tempos!!!

MAPA DE AIYÊ (sem Grid)

MAPA DE AIYê (com Grid)

MAPA DA PLANÍCIE KAKHULU (sem Grid)

MAPA DA PLANÍCIE KAKHULU (com Grid)

Mapa de Kalymba

Posted in artigos, cenário, mapa with tags , on Fevereiro 17, 2021 by rsemente

Olá grandes Griôs e protagonistas desse novíssimo e grande cenário de RPG nacional!

Fiquei muitíssimo animado lendo as primeiras páginas da versão playteste, disponível para os apoiadores do financiamento, seja no financiamento inicial, que arrecadou com 596 apoiadores R$ 110.685, ou a pré-venda, que arrecadou com 92 apoiadores mais R$ 17.902, que ainda está disponível.

Tão animado que fiz um mapa durante o carnaval, incluindo todos as regiões e cidades descritas no livro, e tentando respeitar todos os pontos de referências, que felizmente, ou infelizmente, não são muitos (até para que cada griô possa criar sua campanha sem amarras).

Mas em fim, aqui está o mapa, que por enquanto conta só com o que tem no livro da parte que li (as primeira 40 páginas que descrevem as regiões de Aiyê, o mundo material), e deixando muitas regiões vazias, onde pode-se colocar novos perigos, regiões mais civilizadas ou o que quer que você queira.

Outro ponto importante é que também levei em consideração uma ilustração do universo cosmológico do cenário, que conta com as quatro andares. Como o mundo matéria fica em baixo, ficou ocultado pelos demais, mas tentei reproduzir com uma certa fidelidade a parte apresentada, criando a parte superior da minha cabeça.

Para finalizar, antes que vocês cheguem no mapa, levei em consideração as dimensões do próprio continente africano, com cerca de 8.000 km do ponto mais ao norte até o ponto mais ao sul, e coloquei uma régua lá em baixo do lado esquerdo. Depois quem sabe não coloco mais alguns detalhes, como uma borda, uma descrição dada por um Griô que criou o mapa, e etc…

É claro que tenho minhas próprias ideias para povoar mais ainda o cenário, e quem sabe vou colocando aqui aos poucos alguns pontos interessantes e atualizando em um mapa “expandido”.

E ai, o que acharam? comentem e mande sugestões, e para quem é apoiador indiquem contradições com o que já foi apresentado.

Mapas Dracônicos – 01

Posted in mapa with tags , , , , , on Janeiro 18, 2016 by rsemente

Vou iniciar nessa fase do blog uma nova sessão, uma sessão de mapas, mas com a proposta de trazer mapas mais funcionais e bonitos do que dungeons aleatórias. Evidentemente terá algumas um pouco aleatórias, mas que tenham alguma coisa muito especial, além da arte.

Minha inspiração foi procurando por fotos para um personagem, e encontrando um mapa legal em forma de tutorial. Então fuçando um pouco mais fui achando mais e mais mapas, e inclusive encontrando uma sessão de mapas similar a que estava planejando da Confraria de Arton.

Então nada mais junto do que colocar aqui o mapinha tutorial que me levou para esse revival de mapas (antigamente a internet não compartilhava mapas tão bem).

Sim vale a pena dizer que esses mapas não serão meus em sua maioria, e que tentarei trazer um pouco da ideia do criador (e o link para a ideia original), e um opção nova criada por mim.

MAP 1:Tutorial do Dyson

draw-dungeons-like-dyson

Esse mapa é bem simples, mas mostra de forma interessante o processo de criação do grande Dyson, do site Dyson’s Dodecahedron. Ele explica esse processo com ainda mais detalhes aqui.

A forma mais simples de usa-lo é como  como uma torre em ruínas, que foi construída perto de uma caverna, e os criadores foram escavando até encontrar a caverna e utiliza-la como ponto de  fuga, mas algo terrível aconteceu e a mesma foi abandonada.

O por que um grupo se esconderia ai podem ser diversos: Covil de ladrões com uma pessoa sequestrada? O tesouro do antigo dono? Seria uma torre de um mago? um templo de um deus morto? Uma torre de vigia de uma antiga civilização? Um simples torre que foi destruída para se tornar o covil de um dragão jovem-adulto?

Espero que gostem das idéias e possa utilizar ou se inspirar nos seus próximos jogos de RPG!

OBS: Vou ver se utilizo esse mapa de inspiração para a criação de um pequeno conto do Matsu Raidan, personagem de L5R que descrevi na matéria passada, o que será um desafio, pois não tem nada a ver com um mapa oriental 😛

Heöe, o mundo dracônico

Posted in cenário with tags , , , , , , , , , , , , on Fevereiro 10, 2010 by rsemente

“… e Heöe se tornou o lar/prisão dos dragões, e foi de onde eles iniciaram a conquista dos mundos”

Final do poema da Queda dos Dragões

Não se sabe como Heöe era originalmente, mas após a queda de Kistos o mundo mudou completamente, quase toda vida pré-existente morreu no impacto, dois grandes faixas de terra se ergueram, uma ao redor do impacto e outra no ponto oposto ao impacto no outro lado do mundo!

Essas faixas de terra se moveram ao passar dos milhões de anos e se tornaram como são hoje. Foi conquistada durante milhares de anos pelos dragões, servindo como o centro do império de vários mundos. Até seu imperador ser derrotado pelos grandes heróis, culminando na destruição do império. No dia 26 do 4º mês do 333 ano após a queda, os cartógrafos de Daris iniciaram a empreitada de desenvolver um Mapa de toda Heöe, concluindo sete anos depois.

Os 6 Continentes

Heöe possui seis continentes distintos, divididos geograficamente e culturalmente. Alguns podem ser até pequenos para serem chamados de continente como Fortemar, mas suas importâncias os classificaram a parte do restante do mundo.

Fortemar:Essa grande ilha sempre teve status de continente devido a sua importância, e é o centro das forças que se rebelaram contra o império dracônico. Hoje dividida em várias nações, seu coração possui a cicatriz da guerra contra o dragão imperador: uma cordilheira com picos íngremes que sobem como lanças a centenas de metros de altura.

Draconorte: O maior continente, onde se refugiou a maioria das forças remanescente do império. O maior fator que contribui para isso é a existência da grande cordilheira dos Picos da Destruição em seu centro lar dos dragões marrons: dragões vorazes, quase feras, que mesmo mais fracos, se reproduzem muito mais rápido que outros dragões, e por isso conseguiram manter seu território. Vários reinos circundam a cordilheira, como o Reino do Senhor demônio, e as terras de vários humanóides selvagens como Orcs e Goblinóides.


Continente Ginfu: Ginfu é o nome do continente dominado pelos Dragões de Jade, dragões que ajudaram a derrotar as Nagas e se mantiveram neutros durante a guerra. Três culturas se misturam no reino, com vários clãs lutando sempre pelos desejos de seus dragões de Jade.


Ilhas centrais: Esse continente insular é dividido em Seis grandes ilhas, aqui se mantiveram as frotas derrotadas do Império Dracônico, sobe supervisão direta das frotas do Reino de Renja e Fhankorn. Aqui muitas companhias mercenárias, piratas e dragões mantém escondidos nas milhares de ilhas que borbulham entre as 6 grandes ilhas e entre os dois grandes continentes.

Sulnária: O grande sul ou apenas Sulnária, um continente gêmeo de draconorte, só que praticamente invertido. Aqui a expulsão dos dragões foi quase completa, mantendo quase todos os territórios conquistados por Exércitos da libertação. mas em alguns pontos a barbárie e o mal prevalecem, como no Reino dos necromantes de Necória e a barbárie de Anúria. A grande cordilheira dos Picos Eternos se tornou o lar dos Titanides e uma civilização alpina se formou utilizando essas criaturas como transporte.

Antória:Esse continente isolado e selvagem não foi usado pelos dragões para construção de nenhuma cidade ou domínio humano. Dizem que por causa do terror da mais terrível batalha travada por eles contra os Deuses Abraxianos, ou pela ameaça constante de gigantes. Aqui se tornou o lar de reinos élficos vivendo ao lado dos antigos Artmorianos e do povo do deserto dos sete ventos.

Outros pontos notáveis

O Grande Poço: um redemoinho imenso, que até o vento é sugado para suas entranhas, e que impede a navegação pelo mar de Sulnária. Criaturas abomináveis saem de suas profundezas, tornando os mares ao seu redor ainda mais perigosos.

A Fenda Orochi: No extremo oriente do continente draconorte uma fenda abriga um dos lendários dragões primordiais, Orochi. Dizem que nascido com 16 cabeças foi dividido em dois por Tar’Angaradon para que não sobrepujasse o próprio pai, agora com 8 cabeças aterroriza o povo deDalram.

Dentes do Sol: Grande pedaço de terra do continente de Sulnária é banhado por chamas e devastação, incinerando as montanhas e criando uma fenda fumegante com rios de lava. Essa característica sempre impediu que qualquer forma de vida se estabelecesse nessa região, inclusive os dragões. A fonte dessa destruição é Nesil, o grande sol amarelo, que jorra labaredas de chamas todos os dias, fazendo um corte diário em um mesmo circulo em de Heöe. Os dentes do sol continuam também no oceano, impedindo a circunavegação.

O que é Guerras Dracônicas?

Guerras Dracônicas é um cenário de RPG de fantasia, criado inicialmente para D&D 3ª Edição, até hoje o projeto se encontrava totalmente parado mas pretendo retorna-lo a ativa com todas as forças, inclusive com possibilidade de troca de sistema de regras (ou talvez usando o novo  Tormenta D20, ou o OGL 20, ou um possível sistema mais simples que venho desenvolvendo).

Veja também:

Finalmente o mapa está pronto!

Conto: O Início Parte 1

Caverna do Dragão

Posted in adaptações, Cinema, TV, e Vídeos, Devaneios, personagens with tags , , , on Setembro 7, 2009 by rsemente

Dungeons_and_Dragons_by_felipemassafera

Olá galera, hoje o post será bem nostálgico, 7 de setembro, manhã preparando almoço, e minha esposa me avisa que após o programa da Ana Maria Braga vai começar a passar o desenho Caverna do Dragão!!!

Logo de cara percebo que se trata do primeiro episódio da série, aquele que eles enfrentam Tiamat logo de cara e viajam para Helix para encontrar Merlin, que na verdade era o vingador disfarçado.

Então aviso-os, possivelmente a Globo irá voltar a passar o desenho toda 10:00h da manhã, então avisem seus amigos, avise as crianças que vocês conhecem e que não estudam de manhã, pois ai pode estar o fruto para a futura geração de Jogadores de RPG.

Para quem nunca viu aqui vai a abertura do desenho (que a globo nunca mostrou):

Lista completa de episódios:

Episódios:

01020304050607080910111213

1415161718192021222324252627

Para não deixar o post só nostálgico junto alguns materiais interessante spara quem quiser jogar RPG no mundo de Caverna do Dragão:

Mapa: Aqui um mapa bem legal que coloca todas as localidades do Seriado em um reino maligno governado pelo vingador. Imperdível!

Clique para ampliar
Clique para ampliar em uma nova janela.

Adaptação para Daemon: Traz personagens, itens, raças que aparecem no desenho para o sistema Daemon, mas o mais legal é o histórico do cenário do desenho, baseado em fatos e boatos!

Requiem: O famoso roteiro de um possível ultimo episódio nunca filmado. Ótimo para continuar uma campanha depois desse episódio.

Quadrinho de Requiem: Em estilo manga, mas com qualidade variada (creio que desenhado por vários artistas).

Atualização

O Anand está adaptando o desenho para D&D 4Edição no D3System:

Caverna do Dragão: Episódio 1 – Parte 4 (e acesso aos três anteriores): Adaptação do primeiro episódio para D&D 4E.

O Arco do Hank: Adaptação do Arco de Hank para D&D 4Edição.

O bastão de Diana: Adaptação do bastão de Diana para D&D 4Edição.

RPGCON: Bastidores da Peça Caverna do Dragão: Preparação para peça no RPGCon. Veja a peça aqui.

Caverna do Dragão: Camisetas d3system!: Camisas de Caverna do Dragão, se são boas não sei, mas o recheio…

Finalmente o mapa está pronto!

Posted in cenário with tags , , , , , , , , , on Dezembro 20, 2008 by rsemente

Olá bravos visitantes, lhes apresento o enorme mapa de Heöe. Mesmo sendo apenas um rascunhos, este mapa contem cerca de 50 regiões, sendo cada uma delas considerada um reinos, cultura, ou acidente geográfico notável. Infelizmente ainda não é hora de descrever todos, mas podem acessar o antigo  artigo Reinos Infinitos, que descrevo dez deles.

As regiões demarcadas por linhas ou linhas pontilhadas não são necessariamente o limite desse povo, podem estar  invadindo outros reinos, ou retraídos por conta de algum mal. Como Heöe é quase do mesmo amanho que a terra, as regiões são enormes, algumas podendo ser maiores até que o Brasil! Portanto, muito pouco terreno de fato está ocupado, mesmo que todo ele esteja demarcado.

O proximo passo é fazer mapas tão bonitos quanto os mapas de Aldetoron.

Clique em cima da figura para ver o mapa inteiro:

Aviso: Mapa Enorme.

Agora vamos a um joguinho: Quem localiza primeiro as 10 regiões descritas no artigo Reinos Infinitos?

Um pouco mais sobre o cenário:

Heöe é o mundo principal do cenário Guerras Dracônicas. Nele humanos são a principal raça, sendo cerca de metade da população humanóide. Mesmo assim ainda são bastante diversificados, com culturas e tecnologia muito diferente umas das outras, e alguns reinos mesmos os povos sendo humanos em sua maioria, são na verdade dominados dragões, ou grupos de seres poderosos.

Praticamente os pontos verdes são as grandes florestas do mundo, e nelas se encontram os elfos, exceto na floresta das arvores eternas. O mundo possui muitas montanhas, e duas enormes cordilheiras, onde a existência de dragões ainda pode ser grande (em uma delas praticamente só existe dragões).

Os mares ainda não estão nomeados, aceito sugestões.

Veja também:

Reinos Infinitos

Anões: Gelo, Pedra, Fogo e Aço!

Elfos