Finalmente Terminei: A Batalha do Apocalipse (resenha)!


Sim Nerds, depois de anos terminei de ler meu Batalha do Apocalipse, ainda da versão Nerdbooks!

OBS: Se ficar com preguiça de ler toda a resenha, leia pelo menos a parte final, que possui alguns recados importantes.

A Justificativa

O porque da demora: livros e mais livros fodásticos na frente. Exemplo: Os cinco livros da trilogia Uma Canção de Gelo e Fogo, Uma Princesa de Marte, diversos romances de Isaac Asimov (como a trilogia da Fundação)… sem contar os intempéries da própria vida, como entrar no doutorado, nascimento de um filho, doenças gravíssimas, mudança de empregos, final de mestrado, doutorado…vejam bem nerds, não tenho medo do volume, li livros alguns livros do George R.R. Martim em cerca de um mês, li os livros do Musashi do Eiji Yoshikawa sem temer, foram só os problemas da vida.

Também ouve a questão de empréstimo, que minha sogra pegou para ler o livro e acabou emprestando para sobrinha, e enquanto isso outros livros foram entrando na frente, quando queria ter lido ele antes, e o piro, não leram ele todo! (acho que nunca mais empresto livro).

Mas finalmente ele entrou na vez depois de terminar de ler a Dança dos Dragões.

Demorei um pouco para lê-lo, cerca de 3 meses, pois nesse meio tempo aconteceu de tudo, até do livro ter passado duas semanas perdido!

Terminando minhas justificativas, vamos a outro fator.

A Calibração

Primeiro tenho que fazer outro parênteses: Fui pego um pouco pelo monstro da expectativa e da comparação incomparável.

Passei metade de 2011, 2012 todo, e inicio de 2013 lendo os cinco romances da saga Uma Canção do gelo e Fogo, livros que estão sendo considerados o melhor dos melhores da atualidade (inclusive gostaria de ver a opinião do Vince Gloto sobre a saga), e logo depois comecei a Batalha.

Também nesse meio tempo, o livro foi lançado por uma editora grande e distribuído nas grandes livrarias do Brasil, se tornando um bestseller, e tendo direito a uma continuação em 2012 e outra lançada agora a pouco.

Então minha expectativa foi as alturas (também, depois de escutar tantos Nerdcasts sobre o assunto), e meus critérios de comparação estavam baseados em livros incomparáveis.

Dito isso quando comecei a ler achei pior do que imaginava, ainda assim um livro interessante que me levou a continuar. Mesmo assim acredito que posso realizar uma analise sensata, removendo da equação esses dois grandes monstros da crítica.

A Resenha

A história do livro para mim é bastante familiar, bebendo de fontes como RPGs In Nomine (e algum outro com castas bem parecidas do livro), e o conceito de planos e tecido da realidade é quase o mesmo do Lobisomem, O Apocalipse, que sou fanático. Sem contar de gostar bastante de filmes com anjos, assistindo filmes como da saga Anjos Rebeldes (que bebeu bonito da trama), e outros não tão bons, como Gabriel.

Isso tudo são pontos positivos para o livro, pontos que me facilitaram a compreensão da história, mas em alguns momentos me deixaram meio enfadado pela repetição, fato que, pelo que falaram, foi corrigido na versão de livraria.

A forma que a história é contada, em flashback e o tempo real (futuro próximo), é ótima, adorei a história da Torre de Babel, apesar que em um pequeno momento foi um pouco enfadonho, e acreditar que a batalha de Ninrod poderia ter sido mais emocionante (foi uma quebra de expectativa dentro do próprio livro).

Em seguida segue todo o ritual de Shamira, a visita o inferno, e de novo o grande flashback da Viagem da China a Roma (o maior se não me engano), que teve pontos altos e baixos. Apesar do desenvolvimento dos personagens talvez requisitar um pouco de detalhamento em momentos calmos da trama, a trama seguiu calma demais, apresentando um estilo bem Tolkien de viagem, apresentando cenários, mas em Tolkien sempre em algum da viagem acontece algo foda, nem que seja só visual sem ter ação, como a aparição dos Olifantes para Frodo e Sam.

Outro flashback importante é a viagem ao inferno, que também foi meio frustrante no momento crítico da ação, e também na parte inicial da floresta. Mas como toda essa parte é bem mais curta que a viagem do oriente ao ocidente fica menos pesado.

Em termos de ação o livro está na medida, apresentando bons combates, mesmo que quase sempre seja apenas com Ablon contra alguém, deixando-os sempre com uma novidade mais da parte do antagonista. As descrições do combate também são muito boas, não fincando atrás de muitos autores consagrados (que agora incluem o Dudu em suas fileiras).

Os personagens são bem legais, apesar de não serem famosas figuras lendárias e sim criadas para o romance, acredito que baseado na técnica utilizada nos romances de Bernard Cornwell, ao qual o autor é fã inquestionável (próximos na lista a serem adquiridos).

Em termos de história da Batalha do Apocalipse em si, sem considerar os flashbacks, tudo que acontece é bem bacana, e são plantadas peças fundamentais na trama desdo início, que repercutem em toda trama, deixando tudo ainda mais legal.

E finalmente chegamos na batalha, tudo é muito foda, bem detalhado, descrição de formações, movimentações de tropas (mais uma vez parece ser baseado no Cornwell), batalhas individuais, ações heroicas, e tudo mais, realmente uma batalha digna do apocalipse, e me fez terminar as 200 paginas finais em menos de uma semana.

A qualidade gráfica também é boa, mesmo com cagaço de meu suor das mãos estragar o livro, ele passou, nesse quesito, quase intacto, sofrendo apenas pela manipulação do leva e traz, e só foi mais danificado pelo empréstimo a contragosto.

Com certeza será um livro que ficará lembrado em minha memória, me inspirando a criar minhas jornadas de heróis, e, principalmente, como lição de vida e de sucesso (veja mais a baixo).

Parabéns Eduardo Spohr e todos que contribuíram para criar essa obra tupiniquim que nada fica a dever aos “superiores estrangeiros”.

Inspiração

Antes mesmo de começar a ler, já conhecia o universo pelos nerdcasts, o que me levou a criar o meu próprio universo que escrevo contos (como o dos desafios literários), e estou escrevendo mais e mais coisas (só sem tempo de formatar e colocar na skynerd).

Também me inspirei para jogar RPGs no estilo, inclusive voltar a desenvolver o OMNI, um RPG baseado nesse universo que estou criando.

Então, se alguém quiser entrear em contato para jogar um RPG, tirar dúvidas sobre os contos, fiquem a vontade (e se o Eduardo Ler isso aqui, também fica o convite do mesmo, e o pedido para ser convidado a jogar o RPG com ele).

2 Respostas to “Finalmente Terminei: A Batalha do Apocalipse (resenha)!”

  1. juliano cesar de oliveira Says:

    Oi adorei.. muito obrigado, amei a maneira que vc usou para descrever essa resenha…me fez se interessar pelo livro….mas vc já leu o livro reverso escrito pelo autor Darlei… se trata de um livro arrebatador…ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos…..e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos; Além de revelar verdades sobre Jesus jamais mencionados na história…..acesse o link da livraria cultura e digite reverso…a capa do livro é linda
    http://www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?

  2. Bom estou com esse livro na estante para ler,já faz mais de 2 anos e até agora não consegui passar do terceiro capítulo.Lendo sua resenha parece que me animei um pouco mais.Mas é como vc disse tem sempre um outro livro na frente.Não sei se sou só eu mas morro de ciúmes dos meus livros e filmes raramente empresto,pois ja emprestei alguns que não teve volta.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: