Batman: Dark Knight Rises (SEM SPOILER)


Esta é mais uma das resenhas do blog, e a primeira matéria depois de um iato de 26 dias, o maior tempo que passei se publicar no Blog.

É claro que um dos filmes nerds mais esperado de todos os tempos não poderia faltar de ser comentado, principalmente se tratando de um filme de super-herói que saiu depois do grande épico que foi os Vingadores.

Apesar disso, pensar em comparações entre O Cavaleiro das Trevas Ressurge e Vingadores é um pouco idiota, pois é como comparar De Volta para O Futuro com A Máquina do Tempo, ambos são filmes de viagem do tempo, mas o ritmo é diferente, e para quem não entendeu é como duas músicas sobre romance, mas uma é Rock e outra é um MPB!

É claro que como na música você pode comparar a letra, ver se os versos estão metricamente corretos, variedade de palavras, rimas, comparar a harmonia entre as notas musicais, acordes, variedade… etc. Mas são estilos diferentes, alguns gostam de um outros não, alguns gostam de pop outros gostam de pop, e mesmo quando se gosta dos dois é difícil comparar duas música.

Assim posso começar a resenha de fato.

São 2 horas e 40 minutos de filme, um filme menos escuro que os anteriores, um filme com menos Batman, mas ao mesmo tempo um filme com muito mais super heroísmo.

Aqui diferente do Cavaleiro das Trevas, que usou todas as 2h e 30 minutos, com uma história fechada fantástica, um vilão inesquecível, e uma reviravolta sem igual. Já no ultimo filme senti que houve quase 30 minutos de enrolação (principalmente no início), mesmo a história sendo muito mais épica que a dos filmes anteriores, os vilões extremamente mais perigosos e bem preparados, por se tratar de um filme de Batman, temos pouco dele nesse filme. Isso para mim foi um problema sério.

Mas antes de apontar outros problemas devo enaltecer os pontos fortes do filme.

O primeiro é o elenco. Todos os atores fazem grandes interpretações, de vilões a heróis, e até de pessoas comuns. Michel Kane roubaria todo o filme se pudesse. Cristian Bale continua o mesmo, uma interpretação que não é ótima, mas, mais que o suficiente para o Batman. O ator que faz o Bane realmente se mostra um vilão, mesmo não chegando aos pés do Heath Ledge, o único fator que atrapalhou ele foi o áudio (explico mais a frente). Anne Hateway, a Mulher-Gato, mostrou ser capaz de uma grande anti-heroína, mesmo o personagem sendo pouco sub-aproveitado. Os outros atores e personagens são muito bons, mas falar mais detalhes deles pode estragar o filme.

A história também é muito boa, sendo composta por três grandes arcos do morcego: A mini-série Cavaleiro das Trevas, A saga A Queda do Morcego e a Terra Devastada. A montagem da história é quase perfeita, montando inclusive marcos que permitem a audiência perceber a longa passagem de tempo dentro do filme.

De fato o filme possui outras características boas, como trilha sonora, e os 30 minutos finais serem perfeitos, não apresentando quase nenhum dos defeitos que aparecem no resto do filme.

Em falando de defeito vamos retornar a eles.

O segundo e grande problema do filme para mim foi o combate, que de uma nota de 0 a 10 removeria 1 ponto logo de cara. Vejam bem, eu gosto de artes marciais, eu pratico sempre quando posso, e para mim quase todas as lutas pareceram um telecat. É isso mesmo, um westreler lento, tosco, e repetitivo. Dos poucos combates com o Batman, apenas um é tragável, isso por que tem a mulher gato no meio, que adiciona mais agilidade na ação. Um deles é bem justificável ser lento, mas outro que deveria ser épico é horrível. E é só. Nisso ainda mantenho minha opinião de que o melhor combate “realista” é de Old Boy.

O terceiro grande problema é um conjunto de furos de roteiro, como um personagem está um dia em algum lugar da Ásia e no outro já estar nos EUA (e aparentemente sem nenhum dinheiro), ou esconder um equipamento gigante durante meses em um lugar acessível a qualquer um e voltar está tudo bem… são pequenos furos, erros de continuidade e coincidências pouco críveis. Lamentável, mas muitos parece ser obra da velha e triste edição.

Nesse filme Batman não faz nenhuma investigação (que não seja verificar em cadastros de fichas criminais), NENHUMA, isso é triste para um personagem que é considerado O MAIOR DETETIVE DO MUNDO, ter que depender de novos personagens para resolver todos os mistérios é mais que ridículo, inclusive um que é posto na cara dele mais de uma vez e ele não faz nada para descobrir! Difícil de aceitar (principalmente por que escuto toda semana uma musica do Toquinho que apresenta ele como “Eu Sou O Detetive Batman…”).

Outro grande problema é que em nenhum momento vemos um sangue, nenhum ferimento mais sério visível, uma queixa de dor após uma luta, nada, o Batman parece que está mais resistente que nos filmes anteriores, creio que deva ser alguma coisa da produtora para manter baixa a faixa etária do filme, me incomodou um pouco mas é um dos menores problemas.

 Agora acho que vou ficando por aqui, o filme é bom, talvez do nível do primeiro, ou um pouco melhor na história pela grandiosidade, nenhuma reviravolta marcante como no segundo filme, equipamento novo bacana, e um final surpreendente. Isso me faz dar uma nota final 8,5 de 10, de um filme com potencia de tirar uma nota 12 e ficar na história como ficou Batman: O Cavaleiro das Trevas.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: