SMRB Fase 2: CEN-109 Novo Mundo


Bem demorou 18 dias, quase não sobrou tempo dentro dos 21 dias de votação dessa segunda fase, mas ninguém nuca disse que seria fácil. Felizmente tive algum retorno dos próprios autores agradecendo a resenha, explicando alguns pontos que ficaram estranhos, e acredito que meus comentários possam ter levado os autores a perceber algum ponto forte ou fraco dos próprios cenário.

Infelizmente não tive este mesmo retorno dos outros autores, falando um pouco sobre o meu cenário (CEN-088 Grandes Guardiões) nos comentários, mas espero passar para a próxima fase e assim mostrar mais detalhes do mesmo.

Agora sem mais delongas, vamos ao ultimo cenário.

Veja o texto completo no site do concurso, compare com os outros cenário e vote aqui.

E veja as outras resenhas aqui.

CEN-109 Novo Mundo

Resumo: 4 reinos destroçados pela guerra. A descoberta de um continente repleto de mistérios. Uma disputa por mares, selvas e ruínas pela vitória!

Pela resenha ele é muito parecido com outros cenários, com seu novo mundo e viagens marítimas, com a possível adição de que quatro reinos do velho mundo guerreiam entre si e deverão lutar ainda mais pelo novo mundo.

Mas o que vi não foi isso. Os reinos perderam a guerra para seus civis e próprios exércitos, e o povo agora livre para viver sem guerra podem imaginar com um novo continente recém descoberto.

Em seguida o texto apresenta oito locais e ganchos para aventuras, o segundo (e ultimo nesta fase) a fazer isso. uma idéia bem legal que tentarei aproveitar na próxima. A mais interessantes de todas é a cidade flutuante Halfling.

Logo depois vemos uma mecânica ousada, talvez a mais ousada de todos os 32 cenários, onde o jogador pode influenciar diretamente na criação de detalhes do cenário, sendo limitado por um teste de personagem. Bem legal e seria um grande ganho ver essa regra expandida para o Old Dragon.

Anúncios

8 Respostas to “SMRB Fase 2: CEN-109 Novo Mundo”

  1. Valeu pela resenha RSemente, tava curioso pra ver o que você acharia. Aliás ótimo trabalho com as análises, parabéns!

    • rsemente Says:

      Valeu Rocha.

      Achei o seu cenário no geral bem padrão (principalmente se compararmos com outros cenários do concurso). Acho que até você deve ter ficado surpreso pela quantidade de cenários com “Novo mundo, novo continente”, mas você inovou em dois pontos como falei, o que ajuda a se diferenciar dos demais.

      E seja bem vindo ao Pergaminhos Dourados!

  2. Até parece que depois de ter o imenso trabalho de resenhar 31 cenários você ia “se safar” de uma resenha… =)
    Entenda como uma forma de agradecimento, não só por resenhar o meu cenário, mas por tornar essa fase do concurso mais divertida, nem sempre concordei com o que você escreveu dos cenários, porém foi muito divertido acompanhar as opiniões por aqui, não só a sua, como a dos autores que se pronunciaram, gostaria que todos o tivessem feito, no entanto a regra de comentar sem acrescentar é difícil de seguir, eu mesmo travei os dedos para não comentar mais…
    De qualquer forma, deixo aqui a minha humilde resenha do cenário 088 – Grandes Guardiões:

  3. CEN-088 Grandes Guardiões
    Resumo: Colossais Titãs ameaçam o mundo, e heróis buscam os lendários Guardiões, grandes animais quiméricos, e poderosos artefatos para destruí-los.

    O autor apresenta uma breve explicação do inicio do mundo e a premissa do cenário, no qual, titãs se libertam e vem ao mundo subjugar as raças, e essas muitas, que viviam em harmonia umas com as outras, apesar de uma delas o “Império Lunar” ser xenófobo em relação às demais.

    Depois de explicar a premissa o autor lança algumas idéias e conceitos para ser utilizado em aventuras no cenário. São apresentadas duas classes Domador e Guardião Quimérico, com excelentes ganchos para as aventuras. Na sequência são apresentados os titãs, de um modo bastante detalhado, bem como suas crias e tudo que é necessário para utilizá-los em aventuras. Pude notar que o autor realmente se preocupou em além de apresentar o cenário, o fez visando um micro-cenário para o PD, e depois de ler todos podemos ver que poucos se preocuparam verdadeiramente com isto.

    Ressaltando o que foi dito acima, vemos os artefatos divinos, os itens que no inicio da descrição do cenário os deuses antigos ofereceram para os povos se defenderem dos titãs. Outro ponto forte são as viagens através das inúmeras luas, algo que eu quero saber mais na próxima fase.

    Quando comecei a ler acreditei que o autor descreveria algo como “Shadow of colossus” com uma mistura com “God of war”, talvez por eu pensar nos titãs dessa forma, mas logo essa impressão se desfaz e podemos perceber que o cenário tem vida própria.

    • rsemente Says:

      Na verdade estou fazendo o império lunar algo similar ao império romano. Com Humanos escravizando outras raças…
      Outro ponto é que o Guardião Quimérico não é outra classe, e sim uma criatura para a classe Domador.

      Shadow of the Colossus é uma das grandes inspirações do cenário, junto com a promessa do jogo Last Guardian.

  4. Parabéns pelas resenhas viu, um ato heroico se dispor a resenhar todo esse material!

  5. Então, eu tinha lido os cenários todos no início da fase, mas pelo visto vou voltar a fazer isso graças as suas resenhas! lol Sobre o seu mundo, eu achei bem legal também. De fato, ao contrário do meu, você está apostando em algo bem grande e deixou em aberto várias entradas para criações pessoais de usuários e isso é bem interessante até certo ponto. Acredito que mesmo tendo esta noção de deixar o usuário criar suas próprias ‘luas’ é também importante que você tenha regiões bem definidas dentro do seu universo. Porque muitas vezes, quando alguém faz a opção de usar/comprar um cenário para manter suas campanhas é justamente porque não tem interesse em ‘criar’, preferindo algo já pronto. Mas isso é só algo que passou pemma minha cabeça. Eu sei que fica difícil ver a verdadeira profundidade dos cenários – Seus locais, cidades, organizações e assim por diante – com as limitações de palavras e a adaptação para o sistema (Que aliás esta última vc fez muito bem!) Fora isso, o Grandes Guardiões começa com um ar de mitologia grega (como o Anderson comentou), mas de fato, com o desenrolar do texto, você afasta essa idéia de uma maneira geral. Valew!

    • rsemente Says:

      Obrigado pelo comentário. É exatamente isso que aconteceu comigo nessa segunda fase, quis mostrar as partes importantes de regras que acho essencial para o cenário, o que ficou faltando espaço para descrever os detalhes do mundo (com certeza terão grande regiões detalhadas, inclusive todas as citadas no texto). valeu.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: