Adaptando a Primeira Era da Terra Média (Parte 1)


Hoje começarei finalmente a apresentar uma série de matérias sobre como adaptar o cenário da Primeira Era da Terra Média para uma campanha de RPG de fantasia medieval qualquer, que por motivo de abreviação falaremos apenas “Primeira Era”.

Inicialmente vamos explicar um pouco a história desse cenário, para depois começarmos a adaptação em si.

Tudo começou quando Iluvatar, o Deus verdadeiro de senhor dos anéis, que criou os outros “Deuses” se cansou de ficar sozinho e criou outros espíritos, para acompanhá-lo no vazio, os maiores foram chamados de Valares, e os menores de Maiares. Com eles Iluvatar começou a reger uma sinfonia, que por um tempo foi perfeita, até que um de seus filhos começou a divergir de sua regência. Começou assim uma espécie de guerra sinfônica, até que no final Iluvatar se sobrepôs, no final alguns espíritos menores seguiram o corruptor, chamado Melkor, o mais poderoso dos Valares, causando novas perturbações, mas que no final Iluvatar sempre consegui retornar aos temas por ele previsto e Melkor foi expulso da companhia de Iluvatar.

No final da sinfonia seus filhos puderam ver imagens de um mundo que foi criado a medida que a melodia era cantada, e como em uma orquestra cada um de seus filhos tinha imprimido um estilo próprio na sinfonia, e o mais especial de tudo era que viram novas criaturas neles, criaturas livres, que cresciam com vontade própria, livre da canção inicial (ou talvez fossem os reflexos da prisão da harmonia que a própria musica deve sofrer para continuar bela)

As imagens apresentadas por Iluvatar eram apenas um reflexo do que estava para acontecer, um mundo foi criado e seus filhos teriam que ir a esse mundo e ajudar a construí-lo, do mesmo jeito que ajudaram a construir a sinfonia, e principalmente preparar terreno para a vida que surgiria nesse mundo.

E assim, foi criado a Terra, seus filhos quando chegaram lá encontraram um mundo amorfo, que eles foram dando forma com o tempo. Inicialmente criaram duas Lâmpadas, uma no sul e uma no norte, suspensas por enormes torres, foi então que Melkor fez seu primeiro ataque, destruindo as lâmpadas e dividindo o mundo em dois. Os Valares então fugiram para o continente ao oeste, Valinor e entraram em guerra contra Melkor, que fugiu para o norte construindo sua primeira fortaleza.

Em Valinor os Valares criaram duas Grandes Arvores com folhas que brilhavam mais que as estrelas para iluminar o mundo, e esperaram pelos elfos.

Antes de surgir os primeiros povos de fato, um dos valares quis adiantar o que viu de relance nas imagens de Iluvatar e criou um povo da terra, foram os anões. O valar logo percebeu que havia errado em alguma coisa, e o próprio Iluvatar veio pela primeira vez ao mundo para puni-lo, mandando ele prender as criaturas na terra até que os primeiros seres vivos surgissem de fato.

Os primeiros povos que surgiram foram os elfos. Eles surgiram em uma região longínqua, no extremo leste da terra media, e tiveram que percorrer um árduo caminho até o extremo oeste, e atravessar o mar para chegar em Valinor.

Nesse percurso, vários elfos se perderam, provavelmente capturados secretamente por Melkor. Acredita-se que eles foram transformados em orcs, versões hediondas e infinitamente mais fracas que um elfo.

Alguns desses elfos ficaram no meio do caminho por vontade própria, se prendendo a beleza das terras que viam, ou até se apaixonando por Maiares. Mas os elfos que chegaram a Valinor viam as grandes arvores, e a luz os abençoou com uma iluminação divina que jamais outro povo conheceria.

Nessa época os valares entraram em guerra novamente contra Melkor e prenderam ele em Valinor por três eras.  Nesse tempo os anões acordaram, assim como os Ents.

Secretamente Melkor conspirou sua vingança, fingindo redenção, ele foi solto, corrompeu elfos e se aliou com um grande e maligno espírito, Ungoliant, a ir até valinor e sugar a seiva das duas grandes arvores de luz, o que as matou, e acabou com a possibilidade dos homens terem a mesma iluminação que os elfos tiveram.

Melkor e Ungoliant, destruindo as grandes árvores de luz.

Melkor roubou as Silmarils, as jóias mais perfeitas já feitas, criadas pelo elfo Feanor, que guardavam a luz das arvores, e fugiu com ungoliant para a terra média, se escondendo em sua nova fortaleza Angband.

Feanor furioso decidiu se vingar de Melkor, nomeando ele para sempre de Morgoth. Ele pediu para que todos os elfos se juntassem a ele e fossem combater seu inimigo, um grupo de elfos ao recusar foi massacrado por Feanor e seus aliados, que roubaram seus barcos e chegaram na terra média.

Nessa época, no mesmo momento em que o Sol se pós pela primeira vez, surgiu o segundo povo, os humanos de uma beleza mais bruta que os elfos e muito mais frágeis e mortais, diferentes dos elfos que eram imortais.

Os humanos chegaram e se espalharam pela terra média, eles inicialmente temeram os Valares, mas acabaram acreditando neles e seguindo para Valinor, mas Morgoth entrou em contato com eles e os corrompeu. Apenas um grupo de humanos se manteve fieis aos valares, e mesmos esses nunca conseguiram chegar em Valinor, pois tinham que passar pela região de Beleriand, já transformada em um campo de guerra entre Morgoth e os elfos.

E assim começou o fim da primeira era.

Na próxima matéria começarei pra valer com a adaptação para RPG (então saberão qual o sistema que escolherei para isso), e provavelmente apresentando dicas de criação de personagens, quanto as classes.

Uma resposta to “Adaptando a Primeira Era da Terra Média (Parte 1)”

  1. estou no aguardo!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: