33° Dia


…NO DIA ANTERIOR

Estava me preparando para uma viagem, eu pretendia ir sozinho na viagem, sem chamar muita atenção e sem colocar mais ninguém em risco. Além disso era uma viagem de “resgate” e possivelmente precisaria de espaço na volta.

A viagem que poderia ser rápida ou longa, isso dependeria de quais imprevistos encontraria.

Iria em uma viagem que nos “tempos de outrora” levaria entre três e quatro horas. A viagem ocorreria de Natal até Mossoró, uma cidade conhecida por produzir a maior parte do sal do Brasil e do mundo além de produzir petróleo, mesmo que o seu tempo de ouro negro estivesse decadente, agora estava enterrada para sempre.

A rodovia que ligava as duas cidades era relativamente perigosa, principalmente por ser uma rua de duas mãos e com estreitos acostamentos. Um simples caminhão parado na pista poderia significar um acidente fatal, e agora era provável que vários estivessem parados e bloqueando a pista.

O primeiro fator que deveria considerar em quais dos dois carros deveria viajar.

A primeira opção era o fusquinha, sem chamar muita atenção, com maior agilidade para passar em alguns obstáculos, ou a caminhonete, mas por outro lado precisaria de bastante combustível extra. Seu tanque normalmente mal daria para a ida e volta, então levar pelo menos mais uns 20 litros seria indispensável, por segurança precisaria de 40.

A segunda opção era a caminhonete, não teria problemas na viagem, mas deixaria toda a família desguarnecida de um transporte para fugir em caso de necessidade. Também me permitiria desviar de obstáculos maiores, saindo da pista e voltando depois de passado dos obstáculos.

O segundo fator qual percurso deveria pegar.

Seguir pelo percurso tradicional me faria chegar mais rápido, mas se algum grupo de ladrões quisesse fazer presas seria nela que ficariam a espreita. Pegar uma rota secundária, por rodovias menos visadas me faria chegar um pouco depois, mas poderia me garantir uma viagem mais tranqüila, com menos caminhões e com menos bandidos.

Resolvi ir com o fusca e pegar a rodovia principal. O principal motivo pela escolha era que o diesel estava sendo muito mais consumido que a gasolina, e assim se tornou um pouco mais difícil encher o tanque para a caminhonete. Enquanto um pequeno estacionamento de prédio já me permitiu com dois carros encher o tanque e guardar um galão extra para a viagem.

CONTINUA…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: