Capitulo 3 – Um Pequeno Sol (Parte 1)


Hoje o episódio saiu mais cedo! Aproveitem!!!

… ANTERIORMENTE

Os Filhos de Gliese – Capitulo 3: Um Pequeno Sol (Parte 1)

“A viagem interestelar é um feito notável de se conseguir. Com distancias que são medidas em anos-luz, e em um universo onde se é impossível viajar em velocidades mais rápidas que a luz, viajar até mesmo em grandes frações da mesma pode demorar pelo menos meia década até a estrela mais próxima. Felizmente parece que encontramos uma forma de romper as algemas do espaço e assim permitir ao homem alcançar outros mundos. Infelizmente antes deveremos esperar décadas até que isso aconteça de forma segura, e até lá deveremos esperar os frutos de algumas missões que durarão anos e até décadas, mas eventualmente nossa sociedade com longevidade centenária colherá o fruto dessas odisséias”

Bjorn,em lançamento da agencia especial da CRON

Agora estou na fase final da viagem. Uma viagem de mais ou menos 20,3 anos-luz, uma viagem que sem o método de propulsão certo poderia demorar pelo menos 20.000 anos!

– Fermi, como a nave Drake conseguiu viajar mais rápido que a luz?

A resposta veio parcialmente em minha mente, e resumidamente foi:

– A Teoria de Einstein ainda é valida, nada pode ultrapassar a velocidade da luz, não há formas da nave Drake ter viajado mais rápido que a luz.

Infelizmente Einstein estava certo, é impossível viajar mais rápido que a luz, mas, como descobri, para viajarmos entre as estrelas na verdade não é preciso fazê-lo, na verdade é preciso apenas reduzir a distancia entre elas. Como? Segundo a teoria da relatividade, outra teoria de Einstein, a matéria distorce o espaço, encurtando a distancia entre um ponto e outro, fazendo outros corpos “escorregarem” nesse espaço. Isso é a gravidade. Ele teorizou que até a luz sofre os efeitos dessa curvatura do espaço, e que poderíamos observar isso de forma relativamente fácil, pelo Sol.

Para que provassem suas teorias, ele propôs o seguinte experimento: como o sol possui muita massa, ele evidentemente distorce o espaço, e a luz das estrelas passando perto do Sol sofreria um pequeno deslocamento de seu trajeto, ao medirmos as distancias entre as estrelas na presença do Sol, e outra medição, em uma noite sem a presença Sol, detectaríamos uma pequena diferença entre as distancia de uma para outra. O único problema é que quando o sol está no céu não conseguimos ver nenhuma estrela!

CONTINUA…

Uma resposta to “Capitulo 3 – Um Pequeno Sol (Parte 1)”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: