Capitulo 2 – O Filho das Estrelas (Parte 3)


Pois é galera, acho que o pessoal está começando a gostar do conto, realmente comecei ele errado, mas corrigi a tempo, eliminando 2 capítulos técnicos de encheção de lingüiça, e partimos para a história mesmo. E agora mais uma parte.

… ANTERIORMENTE

Falando de exploração, “minha” missão primária não é essa, e sim busca e resgate, descobrir o que aconteceu com a nave “Drake”, a primeira nave enviada para o sistema estrelar Gliese 581.

Os Filhos de Gliese – Capitulo 2: O Filho das Estrelas (Parte 3)

Na verdade sei pouco sobre tudo isso, alguém bloqueou acesso a várias informações do computador. Às vezes penso que simplesmente não sou da missão, visto que nasci aqui, de forma não convencional, e para alguns sistemas da nave nem existo.

Drake possuía até onde sei, mais de 100 tripulantes, uma nave enviada para explorar e possivelmente colonizar, com equipe completa para pesquisa e desenvolvimento da maioria das áreas da ciência. Com a misteriosa falha da missão, Fermi foi desenvolvida com objetivos bem inferiores, apenas descobrir o que aconteceu, prestar ajuda e resgatar quem for preciso e retornar.

É claro que possuíamos pelo menos um especialista em xenobiologia e em comunicação. O primeiro seria necessário para detectar outras formas de vida, assim como criar formas de vida para exploração, minha mãe era essa especialista, uma renomada doutora com especialização em várias áreas da biologia, incluindo genética.  O segundo era um físico e técnico em comunicações a longa distancia, que seria responsável por detectar problemas de comunicação no espaço exterior e desenvolver tecnologia para manter a comunicação existente.

Agora sou apenas eu.

Observo o relógio relativístico do elevador, um relógio que apresenta o tempo em que vivo, e o tempo na Terra. No relógio do planeta azul, as horas corriam mais rápido do que conseguia perceber, indicando como o tempo estava passando mais lento para mim, apesar de percebê-lo de forma natural. O que mais me perturbava era a falta de sincronismo entre as horas da nave e os dias passados na terra, isso me fazia lembrar onde estava.

Paro de devaneios e no elevador que me levará até a câmera de treinamento em gravidade aumentada. Um salão com acomodações completas, e todas as maquinas de treinamento físico que necessito, inclusive uma pista de corrida e obstáculos. Aqui não treino apenas o fisco, o objetivo no geral é adaptação. A gravidade começa a aumentar, i.e. o modulo começa a girar cada vez mais rápido, aumentando a gravidade artificial. A câmera como um todo também se estendida, se afastando do centro da nave, aumentando assim o raio de giro impedindo que eu sofresse de náuseas durante minha estadia.

CONTINUA…

Anúncios

2 Respostas to “Capitulo 2 – O Filho das Estrelas (Parte 3)”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: