Filmes: Marley e Eu… e RPG


marleyNão sou bom de resenha, mas mesmo ass… Não, não vou resenhar o filme, o filme é uma ótima comédia dramática, e é melhor assistir e tirar sua própria conclusão. Mas o que vamos falar aqui é sobre a importância dos companheiros animais dos personagens.

No D&D eles são as Montarias sagradas (Paladino), companheiros animais (Druidas e Rangers) e Familiares (feiticeiros e magos). Na maioria das vezes eles são apenas uma forma de ganhar uma vantagem durante os combates ou situações estratégicas, nunca tendo nomes, comportamento, ou devido respeito.

Para mudar essa situação daremos algumas dicas para torná-los inesquecíveis:

phantor1 – Nomes: Dê nomes a seu animal, isso o tornará único e a um passo de ser memorável. Para isso dê um nome de relevância, com algum significado, seja ele engraçado (como Perebas), ou radical (Guenhwyvar ).

2 – Característica: Ele tem que ter alguma característica única. Uma cor diferente, uma forma inusitada de aparecer, uma marca incomum, auras e marcas místicas.  Qualquer coisa está valendo.

3 – Crie a ficha: Apesar das características de um companheiro geralmente ser padrão, anote sua ficha de forma individual. Peça ao mestre para customizar algum atributo ou perícia. Se preciso gaste um talento adicional para melhorar ainda mais a criatura (aumentando um Dado de Vida ou atributo).

4 – Peça ajuda ao mestre: O mestre é o único capaz de criar situações que poderão afetar significativamente seu animal. Peça-o para criar uma sessão de jogo que você poderá jogar de forma pessoal com seu animal, usando-o em um combate solo, invasão importante ou até um animal antagonista (Gato Guerreiro e  Pantor).

5 – Morte: Mais cedo ou mais tarde ele morrerá (a não ser que seja um familiar que vive num buraco dimensional). Quando isso acontecer ele poderá até ser ressuscitado, mas não mais de uma vez, e quando ele se forma, faça um funeral de respeito, com possivelmente uma bom marco indicando o local de descanso eterno de seu eterno irmão.

Bem é isso, acho que não tenho mais nada a falar por enquanto, mas antes disso caso tenha tido alguma boa experiência com seu companheiro animal pode mandar brasa nos comentários.

Advertisements

4 Respostas to “Filmes: Marley e Eu… e RPG”

  1. Um ranger meu teve um cachorro falante.

    Mas a característica marcante dele não era o fato de falar, mas de tirar sarros da cara do personagem.

  2. Mestrei para um grupo de RPG em que alguns jogadores e npcs tinha animais memoráveis.

    E quando um dos animais e o dono deste morreram, os jogadores lamentaram mais a perda do animal dq do dono.

  3. rsemente Says:

    Alexandre>> Hauhuaha muito bom! é coisa desse tipo que quiz passar!

    Danielfo>> Essa foi melhor ainda!

  4. Olá!
    Quer uma dica de animal de estimação de grande importância? Leiam Eragon e tirem suas própria conclusões. Quero ver alguém ver os parceiros animais com os mesmos olhos após ler a Saga da Herança.

    Até and Bye…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: