O futuro do RPG


mini-laptops1-copyComo todos sabem o RPG passou por uma renovação de paradigma, na época chamada por alguns de crise, onde os Antigos RPGs de papel publicado em massa foram substituídos pelos arquivos digitais. Com a popularização dos Notebooks super portáteis e dos Leitores.

Os antigos cadernos, práticos para escrever de forma rápida e em qualquer lugar, foram substituídos por um pequeno teclado e uma tela, pouco menor que metade de uma folha A4, isso apenas por cerca de 100 R$, o preço que apenas um livro antigo poderia chegar!

readerAssim como os livros que foram substituídos por arquivos digitais, e podem ser lidos nos próprios Notebooks, ou em telas digitais preparadas especificamente para este propósito, são os conhecidos Leitores. Seu peso reduzido, tamanho prático (tamanho variando de um pouco menor que as antigas folhas A4, até um antigo jornal aberto, podendo ser dobrado para transporte), e flexibilidade são os substitutos perfeito até para as fichas de personagens. Um pouco mais caros que os Notebooks super portáteis, os leitores são uma ferramenta útil hoje em dia como os celulares foram antigamente, quase todo mundo tem um!

A crise não era do RPG,  e sim do RPG de papel.

reader3A Wizard of The Coast foi a primeira a vislumbrar o nosso presente, criando o D&D Insider, aplicativo online onde revistas mensais, e aplicativos virtuais eram disponibilizados pela rede. Mesmo sofrendo criticas pesadas (eu fui um desses) alegando a tentativa de transformar o primeiro RPG e mais jogado do mundo em um Game, a Wizard não andou para traz e transformou o D&D em o primeiro RPG Digital real.

Agora até tabuleiros são mais práticos, basta colocar os leitores lado a lado na mesa, e o mapa planejado pelo mestre se materializará em sua mesa! Apenas um já é o suficiente para se observar a ação do momento, mas para aqueles saudosos, onde o mapa é revelado parcialmente desde o inicio pode-se juntar vários displays, usando o do mestre e jogadores em conjunto!

Agora contando com telas mais sofisticadas, e um link para um computador mais robusto, é possível executar animações digitais para ilustrar as ações de seus personagens: Automaticamente é possível ver seu Guerreiro modelado em 3D atacando o Dragão, acertando ou errando, ou uma bola de fogo lançada pelo seu poderoso Mago tostando  a horda de Orcs, tudo em animações similares ou melhores a qualquer jogo antigo, como os clássicos Word of Warcraft ou Neverwinter Nights.

Preços extremamente convidativos (10-20 r$, menos que um Lanche ou um cinema) permitiram que milhões pagassem por material de qualidade. É claro que o mesmo material você pode baixar facilmente em qualquer sistema de compartilhamento de dados, mas não atualizados automaticamente nas ferramentas On Line (atualizadas mensalmente). Por que perder horas de tempo com copiar, colar e calcular a habilidade que queremos quando podemos simplesmente escolher com um click e ter tudo isso pronto para o jogo? Chega de perder todo um dia criando personagens, ou de horas atualizando-os seus novos níveis.

reader2A redução drástica de papel permitiu que os países alcançassem sua meta de redução de destruição do meio ambiente. Apesar dos milhares de desempregados de toda a chamada “cadeia do papel” (derrubada de arvores, processamento da celulose em papel, transporte, impressão em grandes gráficas, distribuição do material,  e venda em papelarias, livrarias e bancas de jornais), a transformação dessa industria em uma industria “eletro-digital”, uma ampliação do antigo mercado e eletrônico e da Internet, está permitindo a absorção dos profissionais qualificados: programadores, web designers, manutenção de Laptops e Leitores, venda de eletrônicos e toda a cadeia de fabricação e distribuição desse equipamento.

Mas se você ainda é saudoso e gosta de bibliotecas antigas, como eu, vários serviços de livros sob-demanda (na gráfica mais próxima de você ou pela internet) podem ser requisitados para ter seu exemplar materializado fisicamente, tão caro como uma das arcaicas radiolas ou maquinas de datilografar que podem ser compradas por preços absurdos por colecionadores.

Agora temos um jogo mais rápido e divertido, e mais ecologicamente correto.

E a boa notícia é que ainda podemos jogar D&D 3.5, Mutantes e Malfeitores, Lobisomem: o Apocalipse, e GURPS!

OBS: Esse relato fictício, de um suposto futuro próximo, é baseado em tecnologias reais, como os produtos já existentes, e tendências da tecnologia e de como a informação está começando a se transformar (Livros Eletrônicos, Sites de Notícias vs. Jornais, PDFs,…). Acredito que esse mundo já existe hoje em dia, mas ainda é menor que o mundo tradicional, por enquanto, e em algum tempo se tornará algo parecido com o que descrevi.

A crise do mercado de RPG, comentada pelo POP Dice e pela RedeRPG e repudiada pelo Área Cinza, é a crise do RPG de Papel, Livros e revistas terão seus dias de glória contados. Não se extinguirão do dia para outro, mas deixarão de ser comprados cada vez mais e mais, até se tornarem relíquias como maquinas de datilografar e radiolas.

Para o RPG, um produto onde os consumidores nerds se sentem em casa surfando na internet, e um mercado sempre abalado com a pirataria (quem se lembra da Geração Xerox?), a transição será rápida, e dolorosa pra os “mimimis” de plantão. O RPG sempre foi difícil, e continuará sendo, mas no futuro será bem melhor. Não há como piratear um serviço online e os custos para fazer um serviço paralelo, em conjunto com a possibilidade de ter seu site removido juridicamente do ar, tornarão quase certa a possibilidade de lucro por assinaturas online.

E para aqueles não contentes com as imagens, veja esses dispositivos funcionando:

Qualquer duvida e comentário não se acanhem: metam seus dedos no teclado!

11 Respostas to “O futuro do RPG”

  1. Os leitores de PDF, palms e netbooks ajudam quem quer jogar versões antigas tb, que estão disponíveis para a venda.

  2. Agora só falta você anunciar o Encontro Virtual de RPG 2009! 🙂

    Excelente artigo! 🙂

  3. A grande diferença do mercado de RPG para o mercado de livros normais é a criação de “comunidades” ao redor de certos títulos.

    Você tem grupos enormes comprando “Forgotten Realms” (p.ex.) discutindo e criando material extra, sites de fãs e artigos de revistas sobre os títulos de RPG.

    O que eu acho é que o “habitat natural” dessas comunidades é a internet. Assim, concordo com a idéia de que esta é a evolução natural do RPG.

    Mesmo que o livro de RPG impresso não acabe, acho que ele se tornará cada vez mais indissociável da rede.

  4. rsemente Says:

    É por ai mesmo Alexandre, os RPGistas são Nerds por natureza e se sentem a vontade com o computador. Jogamos Games de RPG a décadas. Utilizamos fichas no computador, revistas virtuais, blogs, livros eletronicos,…e agora o D&D Insider.

    Não que eu goste 100% do D&D 4 Edição, mas eles sacaram um pouco de como ganhar dinheiro com RPG. E mesmo com os Livros sendo lançados piratas na Rede o pessoal está comprando aos montes.

    Quando esses leitores saírem e se mostrarem mais práticos que os livros, e os preços se tornarem acessíveis não tenha duvida que a queda dos livros será grande.

  5. pois é, no meu grupo temos feito uso intensivo de laptop durante os jogos.
    Agora só precisamos de um tabuleiro virtual

  6. Até pouco tempo atrás imaginava que notebook fosse luxo, até que ele se transformou em necessidade.

    Quando jogava até o D&D 3.5 não imaginava como eu levaria um notebook para uma mesa de jogo, mas hoje, nas sessões aqui em casa, me pergunto por que eu nunca fiz isso antes.

    Os vários livros que eu consultava estão todos no meio digital, economizando o uso dos meus livros impressos.

    Um arquivo do excel aberto me permite controlar a iniciativa dos combates, os pontos de vida dos combatentes, inclusive as condições (dazed, slowed, etc).

    Ainda não substituo completamente o papel e o lápis pelo notebook, mas hoje ele já exerce um papel muito mais forte que alguns meses atrás.

    Excelente matéria Rodrigo. Parabéns.

  7. Um smartphone já ajuda muito, com música ambiente e planilhas. Quem dirá um notebook…

    Infelizmente os livros vão virar relíquias, asism como LP’s, fitas K7 [e também cassete] e várias outras tecnologias que conhecemos hoje.

    Já notaram que mal se vemos propagandas de CD’s? A onda agora é DVD e BR…

  8. O livro pode até de fato sumir completamente do mercado, mas até isso acontecer ainda deve levar bastante tempo. Até porque mesmo que o livro suma vai ter gente imprimindo o material para usar na mesa.

    Se você parar pra pensar, o único sistema que precisou de uso de material eletrônico até agora foi o D&D. Mesmo que um construtor de fichas seja útil pra qualquer cenário, foi só ele que usou essa idéia por causa do foco que ele fez com esse negócio de quadrado (A Dança do Quadrado foi baseada em D&D?). Jogadores de WoD e outros sistemas provavelmente vão ficar fora disso por algum tempo.

  9. […] provável que a segunda seja a mais correta, indicando que o presente está rumando para esse futuro, mas ainda é possível que haja algum motivo para retirada da oferta dos PDFs. Esperemos noticias […]

  10. […] Apresenta nela uma analise do futuro para 2010 de Mike Elgan, um colunista da Computerworld, algo similar ao que eu fiz, mas muito mais […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: