Resenha: Dex – O Mundo Místico de Hevendor


“Esta é Hevendor.
Tempos atrás, criaturas extraordinárias caminhavam por este mundo, mas isso foi antes das terríveis Guerras Profanas espalhar todo o tipo de terror e desgraça sobre todos os reinos. Essa época foi conhecida como a Era Dourada.”

Hevendor é um mundo de fantasia similar a muitos outros, com elfos escondidos em suas florestas, anões em suas montanhas, e humanos em suas cidades. Mas as semelhanças acabam por ai. No mundo de Hevendor existem poderes titânicos, que fariam Gandalf parecer um mágico de auditório e armas poderosas capazes de fazer o mithril partir como ferro enferrujado. Praticamente um cenário de super-heróis em um mundo de fantasia medieval. Isso é bastante inovador.

O livro, encontrado gratuitamente no site http://hevendor.com, possui uma narrativa muito boa, permitindo uma leitura rápida e objetiva, com cenas de luta dinâmicas e que transmitem o verdadeiro poder dos personagens. O ritmo da história também é bom, mostrando realmente o que importa, e deixando vários mistérios e personagens para uma futura continuação. O que deixa a desejar é uma trama mais forte, que faça o leitor ficar surpreso de forma inesperada, mas isso é até aceitável para um primeiro romance de um cenário completamente novo e inovador. Além disso, em alguns momentos é bem semelhante a quarinhos (de super-heróis), o que nem sempre é bom, como personagens caricatos a primeira vista.

Se fosse comparar com uma serie de TV (Heroes), foi uma primeira temporada cheia de ação, com efeitos especiais e cenários magníficos, com roteiro simples para não complicar confundir o leitor nesse primeiro momento.

Personagens

Nesse mundo que a história de Dex se passa. Um menino que através de misteriosos eventos recebe os fantásticos poderes de uma pedra mística, itens capazes de conceder poderes extraordinários a pessoas especiais. Dex é o protagonista, mas não o personagem principal, que é o próprio cenário de Hevendor, que possui seus detalhes explicados a todo momento, trazendo sabor ao livro. Dex é um personagem pouco profundo, mas por ser uma criança, ver sua evolução o torna mutável e interessante, com infinitas possibilidades para seu futuro, além do “mal oculto” em seu interior.

Os outros personagens são interessantes, mas o único que aparece do inicio ao fim é Algred, e acaba por roubar a cena, inclusive ocupando o lugar de protagoniasta no inicio do livro, o misterioso artesão pai adotivo de Dex. Com personalidade forte, Algred é um personagem de muito conhecimento mas de poder limitado, se tornando um personagem bastante crível.

Os vilões não possuem muito mistério, são similares aos vilões de quadrinhos, apesar de terem um motivo para ser o que são, esse motivo pode ser questionável e não é profundo e intrigante como outros malfeitores.

O Blog

Apesar do livro ser uma ótima experiência, o site traz ainda mais sabor a ela, como o teaser, um jogo, e a galeria de imagens, que poderiam já estar inseridas no livro. É atualizado diariamente com paginas do livro, atividade que começou antes do livro ser disponibilizado na integra. Sempre há alguma pequena novidade em um canto ou outro do site, que lhe faz retornar ao mundo de sangue e poder de Hevendor.

Conclusão

Leitura divertida que leva a um cenário maravilhoso e inovador, mas que por vezes, em profundidade, é mais semelhante a um quadrinho do que a um romance.

Advertisements

2 Respostas to “Resenha: Dex – O Mundo Místico de Hevendor”

  1. Olá!
    Tinha visto a resenha sim e achei que ficou muito boa no geral.
    Acho que você pegou bem o espírito do livro. =]
    Por mais que seja difícil escutá-las, as criticas foram pertinentes, principalmente por você levar em consideração que este é o primeiro livro (tanto da série quanto do autor).
    Tive alguns problemas nesse livro que não soube resolver, por ser o primeiro que escrevi. Mas para o próximo as coisas vão estar bem mais consolidadas. Mas o que mais me deixou feliz foi saber que você leu o livro inteiro. =]
    Obrigado e um abraço!

  2. Olá!
    Criança, “mal interior”, comparações a quadrinhos… O protagonista seria Naruto? Haha, sacanagens a parte, parece-me uma idéia interessante. Tenho que estudá-la melhor quando tiver a oportunidade (espero um dia ter).

    Até and Bye…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: