Tolkien não estragou a literatura de fantasia (mas sim a preguiça)


É fato que Tolkien não é o único autor de fantasia, mas é o mais influente, e copiá-lo parece ser a regra. Infelizmente isso acontece de fato, e quase todos depois dele se inspiram nele ou o repudiam, e é difícil fugir disso. Apesar dessa critica ele possui seus méritos, e mesmo assim algumas pessoas tentam fugir disso.

Senhor dos Anéis é uma obra grandiosa, que descreve com perfeição um mundo de fantasia medieval, fornecendo material suficiente para criar qualquer obra derivada com relativa facilidade, ai está se trunfo.

Contar uma história boa e dramática, com personagens memoráveis todos fazemos em nossas seções e jogos, mas quantos conseguem fazer um verdadeiro mundo em seus mínimos detalhes, permitindo que o leitor/jogador entre em uma completa imersão, conseguindo enxergar as árvores, montanhas, e seres a sua volta? Ou criar uma língua completa para esse mundo? Quanto mais quatro ou mais línguas?

Robert E. Howard (conan) é ótimo por sua fantasia dinâmica, sem se preocupar com o todo. Isso é tanto que o primeiro mapa da era hiboriana não foi feito por ele, e sim por um dos seus leitores mais fanáticos, que através de seus contos conseguiu criar o mapa! Esse mesmo leitor depois da morte de Howard editou, terminou e reescreveu vários de seus contos.

Michael Moorcock eu não conheço muito, mas seu grande trunfo parece ter sido na criação da arte da magia bem elaborada e detalhada, e que acabou por influenciar o RPG.

Apesar disso, eles são grandes escritores, e seus cenários inspiraram muito o RPG, talvez até mais que Tolkien, se não me engano o próprio Gary Gygax afirmou que baseara D&D mais nas obras de Fritz leiber que em Tolkien, ou foi Ed Greenwood sobre Forgotten Realms?

Não podemos esquecer que Tolkien criou o Senhor dos Anéis como uma forma de mitologia, por tal se baseou em outras histórias, como a do Rei Artur, mitologia nórdica, celta, e até contos de fadas, acabando por não ser completamente inovador. O conto “O Anel dos Nibelungos” parece bastante com uma versão resumida do Senhor dos Anéis e o Hobbit. “A branca de Neve e os Sete anões”, “A bela adormecida”, “A chapeuzinho vermelho”, “João e o pé e feijão”, possuem elementos que foram incorporados no Hobbit (vários anões caricatos, adormecer por elfos, enganar gigantes e roubar seu tesouro, lobos devoradores de homens, se perderem em florestas).

É difícil achar um conto de fantasia que não se baseie nos elementos de Tolkien. Apesar de todos os argumentos a favor dele, não é justificativa para inovar. Por que não se inspirar na mitologia grega? Ou na mitologia mesopotâmica? Por que não deixar de lado as armaduras completas e as espadas de aço, e não contar uma história com espadas de bronze, e armaduras de couro?

Segurar o planeta com os braços não é pra qualquer um!

Na mitologia grega nós temos várias raças os homens, além de raças como harpias e centauros, toda ótimas para o RPG (algumas já bem adaptadas). Na Egípcia cada deus antropomórfico permite uma raça a sua imagem e semelhança. Artefatos, monstros e aventuras são só que não faltam. Existem muitos contos e livros que recontam alguma história lendária, mas poucos que recriam esses mundos. NeoKosmos, é um RPG em um mundo baseado na mitologia grega que possui ótimo conto Escolhas. Arkegonos é um cenário também baseado na mitologia grega, mas recria-a como se os deuses tivessem criado um novo mundo Arkegonos, um mundo surreal e inovador.

Como alguém disse “nada se cria tudo se copia”, até Tolkien não escapou disso, e existem sim outros cenários de fantasia, que não são baseados na fantasia medieval de Tolkien.

Treze anões e meio e um dragão! Parece até nome de Filme de seção da tarde.

Anúncios

7 Respostas to “Tolkien não estragou a literatura de fantasia (mas sim a preguiça)”

  1. Ótimo post! Tolkien disse que foi muito influenciado por H. Rider Haggard, especialmente o romance SHE, que tem até um filme velhaço!

    http://en.wikipedia.org/wiki/She_(novel)

  2. Ótima leitura e texto.

    Acho que o problema é que alguns amigos não querem reconhecer que a literatura de Tolkien é diferente do que eles querem em jogos e outras literaturas.
    Nunce me esquecerei de um amigo meu jogador de D&D que disse que não gostou de SdA por que os magos não lançaram uma bola de fogo sequer.

    Quanta ignorância.

  3. Post muito bacana, R. De fato, influência é uma coisa muito bacana e presente em qualquer coisa que se faça, até no que fazem os aclamados escritores “originalíssimos”, como os Chinas da vida.

  4. Olá!
    Ótimas leituras foram citadas aqui, gostei muito! De fato uma boa idéia sempre teve algo como inspiração, além do que idéias são SEMPRE inspirações de outras coisas. Quero ver você pensar em qialquer coisa criativa para RPG se não se inspirar em qualquer coisa antes, seja um filme, livro, até o vale tudo na TV.

    Ótimo texto, parabéns!
    Até and Bye..

  5. Assino em baixo, concordo com tudo o que foi dito!

  6. Obrigado peos comentários, espero que coniga fazer mais posts assim.

    E desculpem or não resonder antes, ams estava de viagem desde 20/03 quando publiquei o artigo, e só voltei hoje (23/03).

    Obrigado a todos pelos comentários!

  7. Não esqueçam também do cenário Aldertoron, diferente de tudo que já existiu, tão diferente que não consegui encaixar no post: http://aldetoron.blogspot.com/

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: