Sense 8: Especial de Natal (Resenha)

Posted in artigos, Cinema, TV, e Vídeos, resenhas with tags , , , , , on Dezembro 25, 2016 by rsemente

Sense 8 foi para mim uma das séries mais fodas de 2016. Ficção científica, ação, crítica social, sexo, drama, aventura, música, humor…qual tema da arte cinematográfica ficou de fora? (Talvez apenas terror ou horror).

A espera por uma nova temporada é um processo longo, meses e meses, principalmente no casos dessas séries do Netflix que todos os episódios saem ao mesmo tempo. E o episódio extra de natal foi uma ótima maneira de revivermos e relembrarmos essa experiência.

sense8_3-750x380
2h, o equivalente a dois episódios e mais um pouquinho, sem muito avanço na trama, apenas aquela tirada: o tempo passou entre uma temporada e outra, mas veja mais ou menos como as coisas se passaram.

Não é um episódio perfeito, não trouxe muita coisa de novo a trama, nem avanços significativos na mesma, mas houveram grandes mudanças nas vidas de alguns personagens.

Também percebemos o dedo das irmãs wachowski em algumas cenas que lembram Matrix, e fico pensando “será que veremos alguma batalha com poder total ou um chosen one?”. É difícil imaginar o que a nova temporada trará de novo, exceto talvez o encerramento dos problemas. Alguma outra anomalia pisiquica, desdobramento temporal dá consciência, aparição de mutantes ou tecnologias mentais novas…bom, já estou divagando demais, agora só me resta se acalmar e esperar pela próxima temporada.

Anúncios

Resenha: A Chegada (Sem Spoilers, Please!)

Posted in artigos, Cinema, TV, e Vídeos, resenhas with tags , , on Dezembro 14, 2016 by rsemente

2016 foi um ano singular. Começou ruim e terminou pior. Mas hoje (quando assisti o filme), pelo menos um raio de luz chegou até mim com A Chegada.

Como um filme pode ser tão importante assim dentro de um ano com “terríveis” acontecimentos históricos de enorme importância no Brasil e no Mundo? Esse é o poder que uma arte pode despertar em um ser humano.

Baseado em um conto “A História de Sua Vida”, o escritor abordou no conto teorias cientificas modernas como relatividade e linguística em uma história sobre amor, luto e livre arbítrio que assombra a maioria de nós, usando de pano de fundo o contato com uma raça alienígena.

O filme reproduz esses conceitos, adicionando uma camada sobre politica internacional e como o ser humano é guiado pelo medo em suas ações.

Então como relatividade, politica internacional, linguística, livre arbitrário, politica internacional, contato alienígena e medo podem coexistir em uma obra cinematográfica só? É ai onde acredito residir a genialidade da obra, e a percepção profunda de como tudo isso se encaixa, sem necessariamente ser dito explicitamente no filme, que pode influenciar em quanto o filme pode significar para cada um.

No meu caso muito.

Visualmente o filme é belo, minimalista e sombrio, o que enaltece indelevelmente a mensagem principal do filme.

Para mim entra no topo de filmes de ficção científica como “Contato”, “2001: uma Odisseia no Espaço”, “Contatos Imediatos do Terceiro Grau”, “Gattaca” e “A Árvore da Vida”.

Agora é esperar o ano acabar, e desejar que os sonhos para 2017 sejam na verdade previsões…

Resenha Episódio Piloto de Jornada nas Estrelas: A Jaula

Posted in artigos, Cinema, TV, e Vídeos, resenhas, TV with tags , , , , on Dezembro 13, 2016 by rsemente

Foi com uma grande surpresa que eu finalmente assisti o primeiro episódio da série audaciosamente responsável por levar mais pessoas à carreira de cientistas e engenheiros que nenhuma outra mídia jamais conseguiu.

A história que me levou a assistir esse episódio apenas agora é longa. Em meados da década de 2000 baixei esse episódio, mas não possui legendas, e nunca cheguei a assistir esse. A uns três anos quando testei a netflix por um mês, pensando na promessa de assistir algumas séries, mas as intempéries da vida não permitiram e a netflix não se manteve. Quando finalmente reassinei a netflix, na expectativa de assistir a série, não a encontrei mais. Cheguei até a reclamar e ligar para a netflix Brasil que me explicou ou que aconteceu (problemas de direitos de distribuição em cada pais).

Então o grande problema da terra ter apenas 24 horas se manteve e não consegui parar para procurar a série e assisti-la…o tempo passou e semana passada recebi a noticia de que a série tinha voltado a netflix!

Assisti o primeiro episódio despretensiosamente, mas fui surpreendido por um roteiro fantástico. Não foi a toa que a série foi aprovada e mantida no ar por três temporadas, apesar de ser sumariamente boicotada pela própria emissora por motivos desconhecidos.

O episódio conta a história de supostos sobreviventes de uma nave espacial cientifica desaparecida a 20 anos, ao qual seu pedido de resgate é detectado pela Enterprise (a nave principal da série). Ao chegar no planeta o Capitão da nave (que ainda não era o famoso Kirk) é atraído por uma armadilha e a verdade é revelada (não vou revelar aqui para não conter mais Spoilers).

O que se segue é uma batalha mental que pode ter inspirado dezenas de obras posteriores, apesar de acreditar que a ideia já tenha sido utilizada anteriormente (obs: não necessariamente devido a esse episódio, mas a outros episódios da série que utilizaram conceitos semelhantes) . “O Homem Que Tinha Tudo (1985)”, “Cidade das Sombras (1998)” e “Matrix (1999)” são alguns exemplos de obras que utilizam alguns conceitos utilizados nesse episódio.

Para ainda fechar com chave de ouro o episódio aborda temas sobre a natureza do espirito livre dos seres humanos, apresenta mulheres capazes de estarem de igual de igual para um homem, e apresenta uma trama cheia de reviravoltas brilhantes. É um episódio que me fez revisitar diversos questionamentos sobre a natureza humana.

Para uma história criada a mais de 50 anos, foi uma grande surpresa, e vale a pena assistir para ter um vislumbre de toda a genialidade do Gene Roddenberry, o eterno pai da série.

D&D 5E em português de Graça

Posted in Notícia, personagens, regras with tags , , , , , on Janeiro 20, 2016 by rsemente
capa 1

A capa da versão nacional!

Olá a todos!

Mais uma matéria de notícia velha, mas que para mim é novidade, um material gratuito de D&D 5E, que não acompanhei nada.

Na verdade o titulo é um pouco sensacionalista e deveria ser: Regras Básicas para D&D 5E para jogadores em português e de graça feito pela Wizards of the Coast, e traduzido pelo pessoal do grupo do Facebook D&D Next.

Os links para baixar o manual básico são:

http://www.4shared.com/postDownload/Oca8Zj2ice/DD_5E_-_Regras_Bsicas_para_Jog.html

E as versões em ingles, que também te o manual do mestre, com alguns mosntros:

http://media.wizards.com/2015/downloads/dnd/BasicRules_Playerv3.4.pdf

http://media.wizards.com/2015/downloads/dnd/DMBasicRules.pdf

Aqui você também encontra a ficha editável, com um personagem já incluso (veja a baixo).

D_and_D_5th_-_Ficha_Traduzida_e_Editavel

Nessa ficha coloquei Heödred, que publiquei na matéria análoga de GURPS 4E. E também fiz ele para D&D 5E (mas sem link para materiais e tal).

E fiquem de olho no blog que em breve vou colocar aqui o conto que prometi baseado no mapa que coloquei da nova coluna, os mapas draconicos.

capa 2.png

E a “capa” da versão america.

Mapas Dracônicos – 01

Posted in mapa with tags , , , , , on Janeiro 18, 2016 by rsemente

Vou iniciar nessa fase do blog uma nova sessão, uma sessão de mapas, mas com a proposta de trazer mapas mais funcionais e bonitos do que dungeons aleatórias. Evidentemente terá algumas um pouco aleatórias, mas que tenham alguma coisa muito especial, além da arte.

Minha inspiração foi procurando por fotos para um personagem, e encontrando um mapa legal em forma de tutorial. Então fuçando um pouco mais fui achando mais e mais mapas, e inclusive encontrando uma sessão de mapas similar a que estava planejando da Confraria de Arton.

Então nada mais junto do que colocar aqui o mapinha tutorial que me levou para esse revival de mapas (antigamente a internet não compartilhava mapas tão bem).

Sim vale a pena dizer que esses mapas não serão meus em sua maioria, e que tentarei trazer um pouco da ideia do criador (e o link para a ideia original), e um opção nova criada por mim.

MAP 1:Tutorial do Dyson

draw-dungeons-like-dyson

Esse mapa é bem simples, mas mostra de forma interessante o processo de criação do grande Dyson, do site Dyson’s Dodecahedron. Ele explica esse processo com ainda mais detalhes aqui.

A forma mais simples de usa-lo é como  como uma torre em ruínas, que foi construída perto de uma caverna, e os criadores foram escavando até encontrar a caverna e utiliza-la como ponto de  fuga, mas algo terrível aconteceu e a mesma foi abandonada.

O por que um grupo se esconderia ai podem ser diversos: Covil de ladrões com uma pessoa sequestrada? O tesouro do antigo dono? Seria uma torre de um mago? um templo de um deus morto? Uma torre de vigia de uma antiga civilização? Um simples torre que foi destruída para se tornar o covil de um dragão jovem-adulto?

Espero que gostem das idéias e possa utilizar ou se inspirar nos seus próximos jogos de RPG!

OBS: Vou ver se utilizo esse mapa de inspiração para a criação de um pequeno conto do Matsu Raidan, personagem de L5R que descrevi na matéria passada, o que será um desafio, pois não tem nada a ver com um mapa oriental 😛

L5R: Matsu Raidan

Posted in personagens with tags , , , , , , , , , , on Janeiro 15, 2016 by rsemente

Personagem para Legend of Five Ring 4 Edição

Seguindo com mais um artigo sobre personagem, como o de Commalinus Iron Wood, Esse personagem foi criado para uma campanha que começou em novembro de 2015, uma campanha com personagens já relativamente experientes (80 pontos iniciais). Mas para ter uma boa quantidade de material resolvi fazer a ficha dele como se fosse um personagem básico inicial, e com o tempo ir atualizando a ficha do inicio do jogo e a ficha em andamento.

Ele é um Bushi do clã de Leão, da família Matsu, por enquanto esses são os dados básicos do personagem. Então podem ficar com a ficha em PDF.

Matsu Raidan (Ficha em PDF)

O desenho do personagem segue a baixo.

Raidan 2

Na próxima matéria sobre o personagem o histórico mais detalhado e um pouco sobre a campanha.

RPG: Racismo, Preconceito e Gay.

Posted in artigos, Devaneios with tags , , , , , , , , , , , on Janeiro 8, 2016 by rsemente

Obs: não abordarei todas os tópicos do título, pelo menos não nesse artigo, e serviu por enquanto mais como uma forma de  trocadilho com o nosso Roleplaying Game (RPG).

Antes de continuar a conversa gostaria de que nesse exato momento pensem, e respondam: Eu sou branco ou negro?

Agora pensem se sou heterosexual ou homosexual. Homem ou Mulher.

Depois coloquem nos comentários as respostas que dariam sinceramente.

Esse post não me veio para seguir a onda puramente dos embates e debates que estão ocorrendo sobre preconceitos no geral, seja racial, sexual ou religioso.

O estopim para escreve-lo foi esse vídeo dos Melhores do Mundo:

E vendo as imagens das prateleiras algo dentro de mim estalou (e me fez escrever essa matéria).

Devo revelar agora que meu filho é negro, e agora vocês ainda devem manter a suspensão de dúvida, e não se devem influenciar por isso ao continuarem a pensar nas respostas das perguntas iniciais, afinal existe um mundo de possibilidades onde qualquer um possa ter um filho negro.

Quando vi o vídeo do MdM, lembrei de quando nesse natal de 2015 ele ganhou um boneco do Mace Windu, e se impressionou quando percebeu que o boneco era negro. E também percebi com o passar dos dias que se tornou um dos bonecos prediletos dele.

Voltando um pouco no tempo, durante todo esse ano de 2015, apresentei a série de Star Wars, começando pela trilogia clássica, depois um pouco dos desenhos legos do youtube, mas ainda não apresentei a trilogia prequel nem os desenhos, e só agora recentemente levei ele para ver O Despertar da Força (ou seja, ele não ainda não viu a segunda trilogia).

Mas nada disso fez com que ele não criasse um vinculo com o boneco do Mace Windu.

image55-750x400

Personagens bons por si só (e atores bons é claro), que poderiam ser interpretados por atores brancos sem diminuir seu papel na trama.

A questão do reconhecimento da cor dele, em relação ao mundo que ele vive que é predominantemente “branco”, seja na família, escola, e entretenimento em geral, já o fez questionar a própria cor algumas vezes, isso sem ele ser perguntado diretamente sobre o assunto, o que demonstra de forma inequívoca a polarização do mundo em que vive ser “branco” e de predominantemente de classe média alta.

Também acredito que ele nunca tenha sofrido preconceito diretamente, ou pelo menos não que eu tenha visto (ele estuda na mesma escola com a mesma turma desde 2 anos, e agora está com 5 anos), ele sentiu de alguma forma que o mundo ao seu redor excluí sua etnia, e se sentiu incomodado por isso.

Alguns podem comentar que estamos vendo problema onde não tem, onde o caso não é preconceito, e sim que o personagem não é tão legal e por isso não vendeu. Vejam que as vendas começaram bem antes da estréia do filme, e que segundo os trailers mostrava ele como um Jedi que encarava o Kylo Ren em uma luta de sabres. Vendo por esse aspecto ele deveria ser o protagonista e ter vendido bonecos por causa disso.

image54.jpg

Outros podem tentar justificar que quando o filme foi lançado e essas expectativas não foram atingidas, acabou gerando o encalhe. Mas ele ainda assim é um personagem importante, com um pouco de alivio cômico (que achei desnecessário, pois o leva próximo ao limite do Obligatory black guy, mas o Han Solo também era um pouco assim, certo?), e também tem grande importância para o sucesso da trama, e inclusive conseguindo acertar um golpe no Kylo Ren -STAR WARS OFF TOPIC MODE ON- que aparentemente usa uma boa armadura sith para não cair aos pedaços como acontece com nos outros filmes. Acho que ou isso ou os sabres de luz do próprio Kylo e do Anakin estavam com problema, sendo que este ultimo pode estar com a pilha fraca 😛 -STAR WARS OFF TOPIC MODE “OFF”.

maxresdefault.jpg

Felizmente acredito que o mundo, nesse aspecto, está melhorando, e que esse racismo não é consciente (o que pode ser até mais perigoso que o racismo consciente). Hoje temos até mulheres e negros como presidentes de grandes países, mas devemos ficar atentos, e aprender a tolerar o diferente, seja a cor de pele, o sexo, preferencia sexual, religião ou o que for, e mesmo que se sintamos atacados por algum grupo de alguma forma.

Não devemos agir da mesma forma, combatendo preconceito com ódio, por mais que o preconceito seja realmente forte. só devemos levantar o dedo se for para nos defender de ataques que possam prejudicar nossa integridade física, pois a integridade moral deve continuar inabalável independente das palavras e ações, e nos balizar pelas leis para punir quando adequado, mas sem nunca descer a mesma lama que alguns chafurdam.

Outro ponto que sei, e gostaria de deixar claro, é da origem histórica do problema da existência de poucos negros na classe alta/classe média alta, e que apesar das políticas anti-racistas serem relativamente recentes, devemos tentar acelerar esse processo de inclusão social, certo. E também concordo que devemos resolver outros problemas, como a descriminação com pobres, mulheres e outras minorias em geral.

Sobre o “RPG” no RPG, bem vou deixar outras questões sobre isso para uma segunda parte da matéria (como a falta de bonecas da Rey), pois está já está enorme, e até a próxima.

Sim, também não vou revelar agora as respostas da perguntas iniciais, isso pode ficar com vocês em vossas imaginações.

cag5j6x62v7yjah79snq.jpg

Linha de bonecos menores e mais articulados. Será que os dois primeiros encalharam?